Petrobras fecha contrato para restaurar catedral em Campinas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de dezembro de 2003 as 20:46, por: cdb

A Petrobras e a Prefeitura de Campinas assinam nesta segunda-feira um contrato para restauração da Catedral Metropolitana, o mais antigo prédio da cidade, inaugurado em 1883. A empresa vai liberar R$ 317 mil, que serão utilizados para obras emergenciais em telhados, forros, condutores de água e projetos hidráulico e elétrico.

O projeto de restauração da Catedral foi elaborado em 1999, no laboratório Habitat, pertencente à Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Campinas. O projeto cultural foi aprovado em março pelo Ministério da Cultura, para enquadramento nos benefícios da Lei Rouanet.

O prédio da Catedral é tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) e pelo Condepacc (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas). As obras devem ser concluídas até 2007, quando serão comemorados os 200 anos de lançamento da pedra fundamental de construção da igreja.

A foi dividida em duas fases: na primeira, emergencial, serão reformados o telhado e o forro, que precisa ser trocado. O orçamento para esta fase é de R$ 1,6 milhão. Na segunda fase, a restauração do restante da prédio, recuperando afrescos, piso, fachada, etc. O orçamento é de R$ 4,4 milhões.

Além da assinatura do acordo, será inaugurado nesta segunda o sistema de iluminação natalina na fachada do prédio, que vai permanecer decorada até 6 de janeiro. A iluminação da Catedral, no centro de Campinas, utiliza 110 refletores, alguns com 1,2 mil watts, controlados por uma mesa computadorizada. Além das luzes coloridas, haverá projeção de anjos, reis magos e estrelas.