Petrobrás controla vazamento de gás na Bahia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 27 de agosto de 2003 as 04:57, por: cdb

35 famílias tiveram de abandonar suas casas por causa do vazamento de gás natural do poço nº 6 da Petrobrás, no distrito de Lamarão, em São Sebastião do Passé, a 58km da Bahia. A medida de segurança teve o objetivo de evitar incêndios.

Não há mais risco de vazamento, segundo a empresa. Até a próxima sexta-feira, deverão ser realizados testes para avaliar as condições do poço, construído em 1939.
 
Na última terça-feira, pela manhã, uma empresa terceirizada realizava a limpeza dos equipamentos. Não havia técnicos, mas enfermeiros e seguranças da Petrobrás continuavam no local.
 
O poço apresentou vazamento desde as 7h de segunda-feira, causando pânico entre os moradores. A saída de gás foi controlada por volta das 22h do mesmo dia, mas os técnicos da Petrobrás permaneceram no local até meia-noite.

O controle do vazamento ocorreu com a injeção de água salgada e uma espécie de lama na válvula. A densidade desses materiais é maior do que a do gás natural, o que evitou a saída de mais combustível.
 
O vazamento iniciou com uma operação chamada de recompletação pelos técnicos da empresa. Uma falha na cimentação do poço possibilitou que o gás chegasse à superfície, com pressão, causando o vazamento.
 
No dia do acidente, o gerente geral da Unidade de Negócios e Produção e Exploração da Bahia, Antônio José Pinheiro Rivas, sugeriu que a falha no poço pudesse ter ocorrido justamente por se tratar de uma construção antiga.
 
A empresa deslocou as 35 famílias para a Escola Municipal Joseane dos Santos durante a última segunda-feira. Vinte e cinco delas dormiram em hotéis no município de Dias d’ávila e dez preferiram ficar em casas de parentes ou amigos.
 
As hospedagens foram pagas pela Petrobrás, que na terça-feira pela manhã iniciou o trabalho de recondução dos moradores às suas residências.
 
As pessoas que ficaram em hotéis ainda enfrentaram trânsito parado para voltar para casa: uma manifestação contra as condições das estradas fechou o viaduto que liga Sebastião do Passé à BR-324, atrasando a chegada dessas pessoas ao lar.