Petkovic pode jogar com máscara de acrílico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de outubro de 2002 as 23:08, por: cdb

O meia Petkovic chegou a ser considerado carta fora do baralho para o jogo contra o Guarani, sábado, em Campinas, mas voltou a ter chances de atuar. Nesta quarta-feira, o médico Clóvis Munhoz encontrou a máscara de acrílico que procurava para proteger o rosto do iugoslavo, que fraturou o nariz durante a partida contra a Portuguesa.

Na manhã de quinta-feira, Munhoz e Petkovic seguirão para São Paulo, onde um especialista vai tirar o molde do rosto do jogador, para que a máscara fique bem ajustada e confortável. Como a fratura no nariz é reduzida, não há necessidade de intervenção cirúrgica e o meia enfrentará o Bugre desde que se adapte ao aparelho.

O mais curioso é que Pet será o segundo jogador do Vasco a usar uma máscara de acrílico em pouco tempo. No começo deste ano, o pivô Sandro Varejão, da Seleção Brasileira de basquete, precisou da proteção pelo mesmo motivo: fratura no nariz. Ele só ficou um dia sem treinar, o tempo necessário para que o aparelho chegasse de Franca, no interior de São Paulo, onde mora.

Sandro tinha uma máscara moldada a seu rosto porque havia fraturado o nariz outras vezes. Na Liga Nacional de Basquete de 2000, quando já defendia o Vasco, também usou a proteção de acrílico. Se Petkovic se adaptar com a mesma facilidade do pivô, o técnico Antônio Lopes terá um problema a menos para escalar o time que jogará contra o Guarani.

No mais, o treinador não poderá contar com o zagueiro Geder, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e o recém-contratado lateral-direito Russo, que ainda está fora de forma. Rogério Pinheiro e Glaydson ocuparão as duas vagas.