Pessoas ligadas ao governador de RR estão envolvidas em fraude

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de novembro de 2003 as 09:32, por: cdb

Com a prisão de mais quatro pessoas nesta sexta-feira, aumentou para 44 o número de detidas em Roraima, sob a acusação de envolvimento no desvio de recursos públicos por intermédio de uma folha de pagamento falsa. A Polícia Federal ainda procura 13 foragidos, entre eles o chefe de Polícia Judiciária do Estado, Ângelo Paiva, que foi demitido pelo governador Flamarion Portela (PT). Outros auxiliares próximos poderão ser detidos nas próximas horas. “Tem muita gente envolvida (que está) no atual governo”, informou uma autoridade da PF ligada às investigações. “Há políticos e assessores ligados ao governador que estão ligadas ao caso”.

Para a PF e o Ministério Público Federal, a apreensão de documentos em poder dos acusados poderá trazer à tona uma série de fatos novos.

 -Quando começarmos a abrir o material, muita coisa deve aparecer-avalia o procurador da República em Boa Vista, Darlan Dias.

 Segundo ele, a análise dos papéis deve começar na próxima semana, quando encerrarão os depoimentos que estão sendo colhidos na superintendência da Polícia Federal em Roraima. Somente na casa do ex-governador Neudo Campos, preso anteontem em Brasília, a PF carregou pelo menos três caminhonetes com documentos.

Uma das esperanças dos investigadores é que entre o material colhido haja mais provas contra deputados e atuais secretários de Estado, para fortalecer um eventual pedido de prisão temporária em tribunais superiores, já que, nos dois casos, existe o foro privilegiado. Apesar de ter administrado os oito meses finais do governo de Neudo, de quem era vice, a investigação não chegou ainda ao o atual governador Flamarion Portela.