Pesquisadores investigam barulho do estalar das articulações

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de abril de 2015 as 12:26, por: cdb
Atualizado em 15/04/16 06:13
A origem do famoso "clack" ouvido quando se estalam os dedos ou outras juntas é motivo de controvérsia científica há muito tempo, mas pesquisadores canadenses acreditam estar muito perto de solucionar a questão
A origem do famoso “clack” ouvido quando se estalam os dedos ou outras juntas é motivo de controvérsia científica há muito tempo, mas pesquisadores canadenses acreditam estar muito perto de solucionar a questão

 

O homem que colocou suas articulações à disposição do experimento foi o co-autor do estudo, Jerome Fryer. Seus dedos foram revestidos antes de serem cuidadosamente puxados por uma corda, segurada pelo também co-autor Greg Kawchuck.

Os dedos Fryer foram então vagarosamente esticados até que as juntas estalassem e as imagens fossem capturadas por um instrumento de ressonância magnética de alta velocidade.

– O ambiente do experimento era muito barulhento, e eu não queria arrancar os dedos dele fora. Então trabalhamos com uma série de sinais – disse Kawchuck, professor da faculdade de reabilitação da Universidade de Alberta, acrescentando que esse não foi o experimento mais sofisticado que ele já fez.

Ainda assim, a imagem de ressonância magnética que ele utilizou se tornou o instrumento mais avançado a observar uma junta estalando até hoje. O vídeo que o exame produziu mostra uma cavidade de ar formando-se no fluido sinovial,  líquido incolor e viscoso que corre nas cavidades articulares e nas bainhas dos tendões, momentos antes da separação das duas superfícies ósseas.

Ainda que os pesquisadores não possam dizer, com absoluta certeza, que a formação da cavidade é também a causa do som, já que não tinham como colocar um microfone no ambiente magnético da ressonância, o que eles podem afirmar é que o “vácuo” ocorre ao mesmo tempo em que as juntas separam-se.

Fim do debate?

O estudo ainda levou os dois pesquisadores a se posicionarem em meio a uma longa discussão sobre o que causa o som do estalo.

Em 1947, cientistas concluíram que o barulho tinha suas origens na formação de uma cavidade de gás. Já outro estudo, de 1971, argumentou que o som era causado pelo estouro de uma bolha de ar.

– O estudo atual corrobora a ideia de 1947, de que a produção da cavidade está relacionada ao som. Agora, temos que seguir adiante e fazer novos experimentos – disse Kawchuck.

Além de desvendar o enigma do estalo, o professor, que também participa do conselho de pesquisa da Federação Mundial de Quiropraxia, espera esclarecer questões mais amplas sobre o tema. Exemplo: por que algumas pessoas conseguem estalar os dedos e outras articulações, e outras, não?

– É algo que pode ser aprendido, como assobiar? Ou existe algo especial nas juntas de quem consegue estalar? – questiona.