Pesquisa verifica benefícios da soja para a saúde da mulher

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 26 de novembro de 2002 as 01:13, por: cdb

O consumo diário de grãos de soja pode reduzir a pressão arterial e as ondas de calor da menopausa, anunciaram pesquisadores nos Estados Unidos.

Entretanto, a principal autora do estudo, a Dra. Francine Welty, especialista em cardiologia preventiva, afirmou que as descobertas devem ser confirmadas com um número maior de mulheres por um período de tempo maior do que aconteceu com o estudo em questão.

A Dra. Welty acompanhou 61 mulheres na pós-menopausa – 12 delas hipertensas e 49 com pressão normal – que serviram como seu grupo de controle ao deixarem de consumir soja por oito semanas.

Depois, elas passaram a receber uma porção diária de meia xícara de grãos de soja torrados e desidratados, com pouco sal, durante oito semanas.

As mulheres receberam instruções para comer os grãos ao longo do dia – alguns no café da manhã, alguns no almoço, outros no jantar e mais um pouco antes de irem dormir. A idade média das participantes era de 53 anos – para aquelas com pressão arterial normal – e de 58 anos – para as hipertensas.

A Dra. Welty disse que a queda na pressão arterial sistólica foi uma descoberta surpreendente. E afirmou que parecia que mesmo as mulheres com pressão normal podem se beneficiar de uma porção diária de grãos de soja.

Segundo a pesquisadora, a ingestão de grãos de soja ao longo do dia ajudou a reduzir as ondas de calor porque o nível de soja no corpo das mulheres foi mantido. Ela disse que isso pode ter ajudado a reduzir também a pressão arterial.

As descobertas foram apresentadas na semana passada, na Reunião Científica da Associação Americana do Coração.

A especialista disse à CNN que as mulheres analisadas no estudo também tiveram em média 54 por cento de redução nas ondas de calor.

Essa queda é significativa, segundo ela, porque “as mulheres reabsorvem a soja em níveis diferentes” – isso embora algumas mulheres tenham tido uma redução de 20 por cento nas ondas de calor, enquanto outras tiveram até 80 por cento a menos.

As participantes do estudo fizeram registros diários e responderam a 37 perguntas sobre distúrbios do sono, atividade sexual e alterações de humor, entre outras coisas. A Dra. Welty disse suspeitar que outras melhorias serão vistas em análises futuras.

Primeiro estudo da soja não processada
A Dra. Welty disse que este é o primeiro teste a usar a soja não processada. Outros estudos sobre a soja sempre envolveram o produto processado.

Segundo a cardiologista, alguma coisa pode ter se perdido durante o processamento que causaria o resultado visto no estudo atual e que não foi observado nos outros.

Ela explicou que muitas das mulheres continuaram a ingerir grãos de soja depois do término do estudo, dizendo que se sentiram “muito melhor”, mas acrescentou que é muito cedo para recomendar o consumo diário de grãos de soja para confirmar as descobertas.

Também são necessárias outras pesquisas com homens para verificar se eles também podem obter benefícios semelhantes para sua pressão arterial.

Quando o estudo começou, os pesquisadores observaram mudanças nos lipídios, pressão arterial, ossos e sintomas da menopausa. Eles vão continuar procurando estas mudanças conforme o estudo prosseguir.

O estudo foi custeado pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos. Os grãos de soja foram doados pela Geni Soy.