Pesquisa testa botox contra incontinência urinária

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de março de 2007 as 17:34, por: cdb

Pesquisadores da Universidade de Leicester, na Grã-Breatanha, anunciaram nesta terça-feira que testarão injeções da toxina botulínica tipo A – conhecida comercialmente como botox – em pacientes com incontinência urinária, entre outros problemas de bexiga hiperativa.

A equipe acredita que a toxina, utilizada normalmente em tratamentos de beleza, será capaz de relaxar os músculos do órgão, impedindo-o de contrair-se involuntariamente à revelia do paciente.

A bexiga hiperativa é uma alteração funcional da bexiga, em que o órgão tenta esvaziar-se sem que o paciente tenha controle sobre esta ação. Os sintomas incluem a necessidade de urinar com grande freqüência ou urgência, descontrole e por vezes até incontinência urinária.

O ginecologista Douglas Tincello, da Departamento de Estudos do Câncer e Medicina Molecular da universidade, disse que as injeções da toxina botulínica serão aplicadas em mulheres que não conseguiram se curar através de comprimidos.

– Muitos de nossos pacientes tentam diferentes comprimidos e exercícios pélvicos, mas pelo menos um terço deles não consegue melhorar -, afirmou Tincello, que trabalha no Hospital Geral de Leicester.

A pesquisa, para a qual foram destinadas 158 mil libras (cerca de R$ 630 mil), tentará encontrar uma solução alternativa às disponíveis hoje em dia.

Atualmente, pacientes que não se curam do problema têm de aprender a conviver com ele ou passar por uma operação para desviar o curso da urina.

– Esse estudo é importante para se certificar de que é seguro e efetivo em pacientes de bexiga hiperativa -, disse Tincello.