Pentagono muda cor de embalagens por temer mais mortes de civis afegãos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de novembro de 2001 as 18:29, por: cdb

O Pentágono anunciou que está mudando a cor dos pacotes de alimentos que vêm sendo lançados pelos Estados Unidos no Afeganistão, paralelamente à campanha militar contra o regime do Talebã, em meio a temores sobre a possibilidade de serem confundidos com unidades não-detonadas de bombas de fragmentação.

Os pacotes com alimentos e as bombas são da cor amarela e têm, aproximadamente, o mesmo tamanho, o que foi chamado de combinação “infeliz” pelo general Richard Myers, em entrevista coletiva.

No futuro, os pacotes de alimentos – conhecidos como Ração Humanitária Diária (RHD) – devem ter a cor azul.

Myers disse que os milhares de pacotes já prontos continuarão a ser lançados para os civis, enquanto as autoridades norte-americanas providenciam novas embalagens de cor diferente.

Desde o início da campanha militar, em 7 de outubro passado, Myers disse que mais de um milhão de pacotes com alimentos já foram lançados no Afeganistão.

A ajuda humanitária é considerada pelo Pentágono uma parte importante de uma campanha de relações públicas do governo do presidente George W. Bush. O chefe de Estado afirmou, reiteradamente, que a disputa dos EUA não é com o povo afegão, mas sim com o Talebã e a rede Al Qaeda, de Osama bin Laden.

Cada bomba de fragmentação contém cerca de 200 unidades explosivas, revestidas de metal e pintadas de amarelo. O tamanho é o de uma lata de refrigerante.

Já os pacotes de RHD são retangulares, mas têm um tamanho parecido com o das bombas. As embalagens, contendo alimentos no total de 2.000 calorias, são revestidas de plástico amarelo.

Nesta semana, a deputada democrata Cynthia McKinney, uma crítica da política norte-americana para o Afeganistão, denunciou a similaridade entre as bombas e os pacotes de alimentos e pediu providências às autoridades para eliminar o problema.