Pelo menos 242 mortos e mais de mil feridos em terremoto

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 24 de fevereiro de 2003 as 08:24, por: cdb

Pelo menos 242 pessoas morreram hoje, segunda-feira, num terremoto de 6,8 graus na escala Richter, registrado na Região Autônoma de Xinjiang, noroeste da China, informou a agência oficial Xinhua, acrescentando que há mais de mil feridos.

Segundo as autoridades locais, o número de vítimas fatais não é definitivo, já que centenas de pessoas ficaram sepultadas sob os escombros de casas, escolas e prédios do governo na localidade de Bachu (situada cerca de três mil quilômetros de Pequim), epicentro do terremoto.

“Pelo menos mil casas foram destruídas”, disse Zhang Yong, diretor da seção de Prevenção de Desastres do Departamento Sismológico de Xinjiang.

O movimento aconteceu às 10.03 local (23.03 Brasília) numa área montanhosa perto da fronteira entre a China e o Quirguistão, a 39,5 graus de latitude norte e 77,2 graus de longitude leste.

“Durante todo o dia forma registradas várias réplicas do terremoto, uma delas de 5 graus de magnitude. Por isso, a população não poderá voltar para suas casas na noite de hoje”, acrescentou Zhang.

O terremoto atingiu os municípios de Bachu (370 mil habitantes), onde se registrou a maior parte das vítimas fatais, Jiashi e a cidade de Kashgar (150 quilômetros ao oeste), local com centenas de feridos.

O governo enviou para a região, situada a quase três mil quilômetros de Pequim, as primeiras equipes de resgate, que tentam encontrar sobreviventes entre os escombros. Os membros do Exército Popular de Libertação (PLA) também foram mobilizados para colaborar nas operações de salvamento.

Xinjiang é palco de constantes terremotos, em especial na zona noroeste. Normalmente, porém, não há danos pessoais, ou materiais, significativos, devido à baixa densidade populacional desta região semidesértica do país.

Em 27 de julho de 1976, mais de 250 mil pessoas morreram num terremoto registrado na localidade de Tangshan, situada a vários quilômetros de Pequim, o que foi considerado o pior desastre natural do século XX na China.