Pelegrino: “Aliados de Neto chamam Bolsa Família de Bolsa Esmola”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de outubro de 2012 as 07:23, por: cdb

Na reta final do segundo turno das eleições, os candidatos à Prefeitura de Salvador, Nelson Pelegrino (PT) e ACM Neto (DEM) se enfrentaram nesta segunda (22) em debate promovido pela Record Bahia. Além de apresentar suas propostas para transformar a cidade, Pelegrino alertou para os prejuízos que a falta de apoio de uma hipotética gestão de Neto poderia trazer para a cidade.
Mais uma vez, o representante das forças conservadoras da capital baiana, ACM Neto, disparou contra as administrações da presidenta Dilma Rousseff e do governador Jaques Wagner. Neto deixou claro que não tem condições de fazer parceria com Wagner e Dilma, criticando o tempo inteiro os gestores e divergindo, inclusive, da proposta de interligar Salvador a Lauro de Freitas através da linha dois do metrô — obra que já tem recursos assegurados.

Pelegrino apresentou propostas para a mobilidade urbana, turismo e destacou os projetos sociais que pretende ampliar através das parcerias com Dilma e Wagner. Aproveitou para lembrar, como os aliados de Neto no Congresso Nacional chamam o Bolsa Família: “Eles chamam o Bolsa Família de Bolsa Esmola”.

Ao final do debate Pelegrino agradeceu a todos que se dedicaram à sua campanha e disse ainda que sua candidatura representa a mudança. Ele reassumiu o compromisso de ser o prefeito mais dedicado que Salvador já teve e de cuidar da cidade a partir de uma parceria harmônica com os governos do estado e federal.

“Tenho uma historia de 30 anos de luta por essa cidade. Minha candidatura nasceu da indignação com o atual gestor, que deixou a cidade às escuras e coberta de lixo”.

ACM Neto x política sociais

Neto passou o debate inteiro tentando justificar que não possui ligação com o prefeito João Henrique, mas não convenceu. Pelo contrário, ao não fazer nenhuma crítica à atual administração municipal, ficou claro seu comprometimento com João. O democrata também disse discordar da direção nacional do seu partido, o DEM, que é contra a política de cotas nas universidades e o Prouni, também sem convencer.

No que se refere ao padrão moral e ético, ACM Neto abusou das ofensas pessoais e mentiras durante o debate. Apesar de falar que o seu partido, não entrará com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar anular o decreto presidencial que altera a medida provisória aprovada pelo Congresso, que muda o texto do novo Código Florestal, o líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), afirma o contrário.

As mentiras continuaram ao afirmar que o governo do estado deveria ter concluído o metrô de Salvador e não quis. Na realidade, o metrô Linha 1 que deveria ir da Estação da Lapa até Pirajá ainda está sob responsabilidade da prefeitura de Salvador, que não deu anuência ao Governo do Estado até o momento.

É uma obra que passou pelas mãos de Imbassahy e pelo aliado de ACM Neto, João Henrique. Os 12 anos de obra já custaram aos cofres públicos R$ 1 bilhão e até o hoje, a incompetência dos gestores municipais não permitiram a conclusão sequer dos 6 km prometidos – que é chamado pelos soteropolitanos de “metrô calça-curta”.

Já o governador Jaques Wagner em parceria com Pelegrino irão concluir a linha 1, levando posteriormente até Cajazeiras. Além disso, construirá a linha 2, que vai do Acesso Norte até Lauro de Freitas.

Informações da assessoria de Nelson Pelegrino

 

..

Comments are closed.