PE: Gilberto Gil e Rossetto lançam projeto ‘Arca das Letras’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de dezembro de 2003 as 11:49, por: cdb

Os ministros Gilberto Gil, da Cultura, e Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário, estão juntos nesta segunda-feira, na festa de lançamento do projeto Arca das Letras, na comunidade de afro-descendentes Leitão da Carapuça, no município de Afogados da Ingazeira (a 284 quilômetros do Recife, no Sertão pernambucano).

A festa de lançamento está prevista para 13h, com shows de artistas de algumas comunidades que serviram de piloto para o projeto, como Zabé da Loca (de Monteiro, na Paraíba), da Banda de Pífanos do Leitão da Carapuça e Grupo de Coco Negros e Negras do Leitão (ambos do município de Afogados da Ingazeira).

A Arca das Letras é uma ação da Secretaria do Reordenamento Agrário, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, integrada a outros ministérios para promover o acesso aos livros e o estímulo à leitura em comunidades de agricultores familiares, remanescentes de quilombos e em assentamentos da reforma agrária.

As arcas são minibibliotecas, manufaturadas por presos nas marcenarias das penitenciárias, mediante convênios com as secretarias estaduais de Justiça e o Ministério da Justiça. Atualmente, as Arcas das Letras estão sendo confeccionadas na Unidade Penitenciária de Petrolina (a 769 quilômetros do Recife, no Sertão de Pernambuco).

A madeira utilizada é doada pelo Ministério do Meio Ambiente e obtida através de apreensões do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Os acervos são formados por cerca de 200 títulos em cada arca – selecionados conforme sugestões das comunidades, nas áreas de literatura infantil, para jovens e adultos, além de livros didáticos e técnicos. Os ministérios da Educação e da Cultura participam com o repasse de acervos.

As minibibliotecas são instaladas em moradias, associações rurais ou outro espaço comunitário. As comunidades também escolhem seus Agentes de Leitura, que são capacitados para manutenção dos acervos, empréstimo de livros e desenvolvimento de atividades de incentivo à leitura.

A Arca das Letras tem ainda o apoio do Banco do Nordeste, de organizações não governamentais (ONGs), movimentos sociais, editoras, governos estaduais e municipais.

As comunidades do Semi-árido nordestino e no Rio Grande do Sul. As comunidades rurais de Monteiro (PB), São José do Egito (PE), Afogados da Ingazeira (PE), Viamão (RS) e Porto Lucena (RS) contribuíram para a avaliação da metodologia de execução do projeto e a definição de um conceito de biblioteca para o meio rural.

Até fevereiro de 2004, serão implantadas 600 minibibliotecas rurais no Semi-árido nordestino – começando pelas áreas atendidas pelo Projeto Dom Helder Câmara – e 200 no Rio Grande do Sul. O planejamento para as demais regiões do País está em fase de mapeamento das comunidades rurais e de seus territórios.