Paulista corre mais risco de ser sequestrado na quinta-feira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de agosto de 2002 as 06:56, por: cdb

Levantamento obtido pelo Agora junto à Polícia Civil revela que o paulista corre mais risco de ser sequestrado às quintas-feiras. A constatação foi feita com base nos últimos casos ocorridos no Estado. A reportagem, porém, teve acesso à parte dos números. Segundo a Polícia Civil, houve uma queda no número de sequestros em relação ao trimestre passado, quando houve 110 casos.
Para policiais da DAS (Delegacia Anti-Sequestro), entre abril e junho de 2002, a polícia atendeu 89 ocorrências de sequestro no Estado, a maioria delas ocorridas às quintas-feiras. Na capital foram 49 casos, contra 27 na Grande São Paulo e no interior. O número de presos envolvidos em sequestros também é significativo: em 2001, 240 pessoas foram detidas. Já nos primeiros seis meses de 2002, as prisões somam 233 suspeitos. Quanto à porcentagem de sequestros solucionados, hoje é de 70%, informa a DAS.

Mesmo com a queda em relação aos três primeiros meses desse ano, o 2º trimestre ainda teve 31,46% de casos a mais do que no mesmo período do ano passado, quando 61 pessoas foram sequestradas. O aumento também se repete quando a comparação é feita entre os primeiros trimestres: no de 2001, o estado teve 41 casos de sequestro; já neste ano, o número saltou para 110, ou seja, um aumento de 168,29%. A DAS alega que a maior incidência de casos às quintas-feiras no segundo trimestre de 2002 se deve ao fato de a repressão policial ter aumentado às quartas-feiras. Antes, este dia da semana era o campeão dos sequestros.

As explicações também apontam que as segundas e as sextas-feiras são os dias em que menos pessoas são sequestradas. Nesses dias, as vítimas potenciais dos sequestradores geralmente mudam a sua rotina pela proximidade com o final de semana. “Segunda e sexta são dias em que muita gente aproveita para viajar e isso torna a fuga dos sequestradores mais delicada”, afirma um policial.