Passagens aéreas vão ficar mais caras

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de outubro de 2002 as 11:26, por: cdb

O aumento de 16,3 por cento no preço do querosene de aviação a partir desta terça-feira, autorizado pela Petrobras com o objetivo de acompanhar os preços internacionais do combustível, irá elevar o preço das passagens aéreas. Segundo as companhias aéreas, o reajuste deve tornar as passagens 5% mais caras.

“A tendência é ter repasse, porque a situação do setor não está boa e os descontos já foram retirados nos últimos meses”, disse o analista do setor aéreo da corretora Itaú, Alexandre Torrano. à agência Reuters.

A Varig , líder do mercado brasileiro e que passa por uma grave crise financeira, já avisou que o aumento deve ser repassado ao consumidor.

“No momento em que o dólar está pressionando os custos com o leasing (aluguel) dos aviões, um aumento de combustíveis deverá gerar ajuste nas tarifas”, afirmou o assessor da empresa, sem saber informar de quanto seria o aumento.

A TAM , segunda maior, disse que vai repassar o preço para as tarifas em uma proporção menor do que deveria, “porque o mercado de aviação está retraído”.

A Vasp, terceira companhia aérea do país, informou que o repasse será feito na proporção do peso do custo do combustível na planilha da empresa, mas ainda não possui um cálculo do percentual.

Na Gol, empresa que trabalha no sistema de baixos custos, a avaliação de um possível aumento levará ainda alguns dias, segundo a sua assessoria.

“Primeiro vamos avaliar o impacto no mercado e na nossa planilha de custos”, disse o assessor.

O querosene de aviação responde por 25 a 35 por cento dos custos das empresas aéreas. A Petrobras tem praticado aumentos mensais do combustível.

PREÇOS MAIS DO QUE DOBRARAM NO ANO

A TAM reclamou de que os aumentos do combustível de aviação sofreram mais aumento do que outros combustíveis produzidos pela Petrobras.

“Com esse ajuste, o aumento acumulado no ano para o querosene de aviação sobe para 105,62 por cento, enquanto a gasolina subiu 30,5 por cento e o diesel, 31,1 por cento”, disse a assessoria da TAM.

Segundo levantamento da empresa, antes do ajuste desta terça-feira, o querosene de aviação havia subido 600 por cento de 1999 a 2002, enquanto a gasolina aumentou 270 por cento e o óleo diesel, 246 por cento.

A Petrobras não quis informar a alta do preço do querosene de aviação no acumulado deste ano. A assessoria da estatal limitou-se a informar que, desde que 1 de julho de 2001, quando os preços foram liberados, o aumento foi de 37,1 por cento.