Participação popular na campanha do PT amplia desespero tucano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de outubro de 2012 as 12:04, por: cdb

Os tucanos e seu candidato a prefeito de São Paulo, José Serra, não querem e nesta última semana de campanha fazem de tudo para que o eleitor esqueça que ele, a exceção do mandato de deputado constituinte, abandonou todos os demais cargos para os quais se elegeu.

Não cumpriu o mandato de senador preferindo ser ministro do Planejamento e da Saúde do governo Fernando Henrique Cardoso e renunciou à prefeitura paulistana 16 meses após assumí-la, assim como ao governo do Estado, oito meses antes de terminar o mandato.

O desespero tucano é maior porque enquanto não atrai público para as aparições de José Serra e seus comícios e atos públicos são esvaziados, é cada vez maior a participação popular e o entusiasmo nos atos de campanha do PT, onde quer que os promova o candidato Fernando Haddad e nos comícios de que participam os presidentes Lula e Dilma Roussef em São Paulo, na região do ABCD paulista, em Campinas e em capitais do Nordeste como, por exemplo, em Salvador na semana passada.

Os lembretes passados ao eleitor pelos presidente Lula e Dilma

Por isso o ex-presidente Lula foi muito feliz no fim de semana ao alertar o eleitor para a semelhança entre José Serra e os ex-presidente Fernando Collor de Mello e Jânio Quadros. Collor também renunciou à prefeitura de Maceió e ao governo de Alagoas até ser afastado pelo impeachment na Presidência da República.

O ex-presidente Jânio Quadros renunciou à Prefeitura de Sampa na primeira vez em que chegou ao cargo; ao governo de São Paulo antes do final, para sair candidato a deputado – e não pôs os pés na Câmara um dia sequer enquanto deputado federal pelo Paraná; e renunciou à presidência da República seis meses e 25 dias após tomar posse no Planalto. Sem contar que na vida política toda a cada vez que saia candidato, renunciava ou ameaçava renunciar várias vezes antes da eleição.

“Eles precisam criar vergonha e cumprir mantado até o fim”, disse o ex-presidente Lula ao lembrar ao eleitor “a sede de poder inigualável” de José Serra que o levou a sair agora, pela 4ª vez candidato a prefeito de São paulo. “Não sabe ficar sem mandato’, mostrou o ex-presidente Lula.

Acham que “o povo é tonto”

“Ele poderia ficar quieto e disputar com ela (Dilma Rousseff) em 2014, 2018, 2030 ou 2040. Mas voltar a querer ser prefeito é achar que o povo é tonto”, concluiu. Também no comício no sábado, em São Paulo, a presidenta Dilma lembrou ao eleitor: “a mesma campanha baixo nível que fizeram contra o Haddad, fizeram contra mim. Primeiro disseram que eu era um poste. Depois, que não tinha competência para governar”.

Castigado pela falta de voto (segundo as pesquisas), de público e de crença dos eleitores em suas afirmações, mesmo assim José Serra, na última semana e quase às vésperas do pleito prossegue com sua campanha negativista.

Olhando em retrospectiva sua participação em outras disputas (praticamente em todas as eleições desde 1986), a impressão que fica é que ele não sabe fazer campanha de outra forma.