Parreira lamenta excesso de gols perdidos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 6 de setembro de 2004 as 11:18, por: cdb

A Seleção Brasileira embarcou no início da tarde desta segunda-feira para Berlim, onde nesta quarta-feira enfrenta os alemães em jogo amistoso, e o técnico Carlos Alberto Parreira, embora satisfeito com a vitória sobre a Bolívia, neste domingo, por 3 a 1, não deixou de lamentar as seguidas chances de gol perdidas pela equipe, especialmente no segundo tempo.

– Tivemos nove oportunidades e lamentamos não ter conseguido aumentar o placar. Perdemos uma boa chance de melhorar nosso saldo de gols – comentou Parreira.

Mas apesar dos gols perdidos, o treinador ficou satisfeito com o resultado e a atuação brasileira. Parreira lembrou que o Brasil chegou a jogar com quatro jogadores ofensivos no segundo tempo – Ronaldinho, Adriano, Robinho e Alex.

– E nem assim os gols aconteceram. Isso não prova nenhuma tese, mas mostra que nem sempre adianta ter cinco ou seis atacantes para ter garantia de que vai sair o gol. Mas criamos muitas oportunidades – afirmou ele. 

Na opinião de Parreira, o gol marcado por Ronaldinho logo no primeiro minuto de jogo deu a tranqüilidade necessária para a seleção brasileira chegar à vitória com facilidade.

– Sem dúvida alguma, mudou a cara do jogo. Não que eu estivesse preocupado, mas poderia ser um jogo encardido. Se o gol demorasse a sair, a torcida poderia se impacientar – disse o técnico.

Parreira revelou que pretende convocar jogadores do Milan e do Bayern de Munique para os próximos jogos do Brasil pelas Eliminatórias, na primeira quinzena de outubro, contra Venezuela e Colômbia. Dida, Cafu e Kaká, do Milan, Lúcio e Zé Roberto, do Bayern, foram cortados da partida contra a Bolívia porque, seguindo orientação dos seus clubes, não se apresentaram ao técnico para o amistoso contra o Haiti, dia 18 de agosto.

Com relação ao amistoso contra a Alemanha, em Berlim, Parreira acha que os donos da casa buscarão a vitória para motivar o país na preparação da Copa do Mundo de 2006. O treinador brasileiro encara o jogo como um forte teste para o time que disputa as Eliminatórias.

– Vamos jogar contra uma equipe que tem uma das maiores e mais belas trajetórias do futebol mundial – observou.

O amistoso pode consolidar a nova dupla de ataque do Brasil. Parreira gostou da atuação de Ronaldinho e Adriano mas quer vê-los em ação contra defesas mais resistentes que a boliviana.