Parreira aposenta volante destruidor na Seleção

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 7 de outubro de 2004 as 19:55, por: cdb

A dois anos da Copa do Mundo, o técnico Carlos Alberto Parreira vai montando um meio-campo em que todos os jogadores são capazes de trabalhar ofensivamente.

A figura do volante que joga quase como terceiro zagueiro, meramente marcador, vai desaparecendo na Seleção. O time que enfrenta a Venezuela, neste sábado, em Maracaibo, terá o ex-meia Renato nessa posição. Mais à frente, Juninho Pernambucano e Zé Roberto, que ajudam no combate e têm boa participação ofensiva, além de Kaká, completam um time que privilegia a criação.

Renato ganhou a confiança de Parreira na última Copa América, ao atuar como homem mais recuado do meio-campo. Para ele, seu passado o ajudou. “Sempre fui meia e isto me ajudou a aprender a marcar. Consigo antecipar o raciocínio dos meias adversários. E consigo sair jogando. Parreira tem optado por quem faz as duas coisas”, diz.

Para Juninho Pernambucano, o trunfo foi o fato de já ter atuado em quase todas as posições do meio-campo, seja nos tempos de jogador do Sport, do Vasco ou do Lyon.

– Seria bom para mim que a Copa fosse no mês que vem. Estou tendo seqüência. Hoje, o jogador não pode achar que atuar em várias posições o prejudica na Seleção. Acabou isto.

Kaká, por sua vez, compara a formação atual da Seleção à de seu clube, o Milan. “É parecido, já que o Seedorf e o Pirlo chegam sempre no ataque e o Gatuso é mais pegador. É importante ter um jogador assim no meio-campo. O importante é todo mundo obedecer um posicionamento.”