Parlamento cubano apóia reivindicação boliviana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 26 de dezembro de 2003 as 15:05, por: cdb

O Parlamento cubano expressou solidariedade à postura do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de apoiar a reivindicação boliviana de recuperar uma saída para o Pacífico, segundo uma declaração divulgada em Havana nesta sexta-feira.

Num breve comunicado, a Assembléia Nacional do Poder Popular (parlamento unicameral cubano) declarou “sua plena solidariedade à firme e nobre posição” de Chávez, que, na última Cúpula Ibero-americana, realizada em Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), apoiou as reivindicações bolivianas.

– A centenária luta do povo boliviano para recuperar sua saída para o mar conquistou amplo apoio na opinião pública e na comunidade internacional, especialmente na América Latina – diz a declaração publicada nesta sexta-feira no jornal oficial Granma.

– O presidente Chávez, com a autoridade moral de liderar uma Revolução Bolivariana que encarna os ideais do libertador Simón Bolívar, criador da República da Bolívia, e que tanto lutou por uma América Latina livre, independente e unida, exigiu solidariedade a essa nobre causa – acrescenta a declaração.

O texto foi aprovado pelo Parlamento em sua segunda e última sessão anual, realizada na terça-feira passada.

A Bolívia perdeu o acesso ao Pacífico na guerra travada junto ao Peru e contra o Chile, entre 1879 e 1883. As relações diplomáticas entre Chile e Bolívia estão suspensas desde 1962 (com um parêntese entre 1975 e 1978), devido à exigência boliviana de recuperar um acesso soberano ao Pacífico.

O Chile sustenta que não há questões fronteiriças pendentes com a Bolívia, já que sua fronteira foi “total e definitivamente demarcada” no “Tratado de Paz e Amizade de 1904, que se encontra plenamente vigente”.

O governante venezuelano disse em várias ocasiões que o Chile deve ceder uma saída ao mar para a Bolívia, o que provocou tensões entre Caracas e Santiago.

A postura de Chávez foi apoiada pelo presidente Fidel Castro, que, em visita relâmpago à Venezuela na semana passada, considerou justa a reivindicação boliviana e defendeu o direito do líder venezuelano a opinar sobre o tema.

O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter, Prêmio Nobel da Paz, também manifestou sua disposição a interceder para que o Peru e o Chile atendam ao desejo boliviano de recuperar o acesso ao Pacífico.