Parlamentares dão início a campanha contra Blair

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 19 de abril de 2003 as 16:35, por: cdb

Um grupo de parlamentares trabalhistas deu início a uma campanha contra o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, por considerar ilegal a guerra lançada contra o Iraque pelos Estados Unidos e Grã-Bretanha. Eles argumentam que não foram encontradas armas de destruição em massa no país invadido. Eles querem que os serviços secretos sejem investigados.

Os deputados rebeldes exigiram a abertura de uma investigação independente para determinar se os serviços secretos britânicos mentiram aos ministros de Whitehall e Downing Street com relação aos supostos arsenais nucleares e bioquímicos do Iraque.

As armas de destruição em massa supostamente em poder do regime iraquiano foram utilizadas como pretexto para a guerra. “Fomos obrigados a apoiar essa guerra devido às informações dos serviços secretos britânicos. Por essa razão, pedimos uma investigação para que se descubra se houve mentiras e jogadas políticas”, declarou George Galloway, um dos deputados rebeldes que mais se opôs à deflagração da guerra sem o aval da Organização das Nações Unidas (ONU). “A comissão parlamentar de inteligência deverá investigar a veracidade dos relatórios dos serviços secretos sobre as supostas armas de destruição em massa nas mãos de Saddam Hussein”, acrescentou.