Parentes e amigos dos nove mineiros soterrados no Peru fazem vigília à espera dos resgates

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 9 de abril de 2012 as 08:34, por: cdb

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Os parentes e amigos dos nove mineiros soterrados na Mina Cabeza de Negro, a 330 quilômetros de Lima, capital do Peru, fazem vigília em um local próximo do desabamento. As famílias dizem estar confiantes no resgate dos trabalhadores, mas as autoridades estimam que os mineiros só serão retirados da mina em três dias. Os mineiros estão soterrados há quatro dias.

Paula Sarmiento, mãe do mineiro Edwin Sarmiento Bellido, disse hoje (9) que espera rever o filho e os demais trabalhadores, soterrados a 200 metros de profundidade. “Estamos preocupados com a situação. Espero ver o meu filho [logo]. Nós esperamos que ele e seus companheiros  em breve estejam conosco”, disse, lembrando que Bellido é pai de duas meninas e há 15 dias trabalha na Mina Cabeza de Negro.

Jesús Jacatinta, um dos mineiros soterrados que conseguiu se comunicar com os resgatistas, disse que os trabalhadores estão calmos e aguardando para serem retirados do local. Segundo ele, os trabalhadores estão vestidos com bermudas, camisetas e botas.

O presidente do Conselho de Ministros, Oscar Valdés Dancuart, disse que o “governo fará de tudo” para resgatar o mais rápido possível as nove pessoas. As autoridades informaram que os trabalhadores não estão feridos e estão recebendo oxigênio e bebidas por intermédio de um tubo.

Em agosto de 2010, o resgate bem-sucedido de 33 trabalhadores, em uma mina, no Norte do Chile chamou a atenção do mundo. Os trabalhadores foram resgatados com vida devido à ajuda de especialistas da Nasa, agência espacial norte-americana, do México e da Argentina, além de chilenos.

 

*Com informações da agência pública de informações do Peru, Andina   //    Edição: Lílian Beraldo