Para ONU, muro israelense vai causar sofrimento

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de novembro de 2003 as 14:41, por: cdb

A barreira de segurança israelense vai causar grande sofrimento, de acordo com um novo relatório das Nações Unidas publicado nesta terça-feira.

O documento afirma que a barreira (que, em algumas áreas, tem a forma de um muro e, em outras, de uma cerca) vai separar milhares de pessoas de suas fazendas, empregos e escolas.

O governo de Israel rejeitou o relatório e disse que o texto é impreciso. As autoridades israelenses alegam que a barreira é necessária para impedir que autores de potenciais atentados suicidas entrem em Israel.

O correspondente da BBC em Jerusalém, David Chazan, afirma que o que causa controvérsia não é o muro em si, mas a rota que ele vai seguir.

Impreciso

Críticos dizem que a barreira não segue a fronteira existente entre Israel e a Cisjordânia. Eles alegam que ela representa uma iniciativa de Israel para tomar território e tem o objetivo de influenciar futuras fronteiras políticas.

O governo israelense rejeita a alegação e diz que o muro tem o objetivo de garantir a segurança de Israel.

O governo israelense afirma que o novo relatório da ONU é baseado em uma idéia imprecisa da rota que o muro seguirá, e não leva em conta que a barreira vai ter portões para que os palestinos possam ir e vir de suas casas.

Um documento anterior da ONU, divulgado em setembro, condenou a barreira, que também foi criticada pela Assembléia Geral da organização.

Os israelenses dizem que a Assembléia Geral é tendenciosa porque tem vários membros muçulmanos e árabes.

A barreira, que ainda está em fase de construção, deverá ter 700 quilômetros de extensão