Para Coréia do Norte, sanções seriam “sinal verde” para guerra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 30 de abril de 2003 as 08:20, por: cdb

A Coréia do Norte avisou novamente que qualquer tentativa dos Estados Unidos para que a Organização das Nações Unidas (ONU) lhe imponha sanções por causa de seu programa nuclear seria vista como uma “luz verde” para a guerra.

A agência estatal de notícias da Coréia do Norte, KCNA, disse que as iniciativas dos Estados Unidos contra o país “levam à opção de reter a força de dissuasão necessária”.

A Coréia do Norte disse ainda que os Estados Unidos usaram um “truque mesquinho” para atrapalhar o progresso nas negociações na semana passada, ao se concentrarem no alegado reconhecimento de Pyongyang de que já tinha armas nucleares.

A agência coreana afirmou que as negociações tinham fracassado porque os Estados Unidos se recusaram a considerar as propostas da Coréia do Norte para acabar com o impasse.

Segundo Washington, durante as conversas em Pequim representantes norte-coreanos disseram a representantes americanos que a Coréia do Norte tem armas nucleares.

A Coréia do Norte não fez essa afirmação em público. Mas disse que novas negociações com os EUA não têm sentido se Washington continuar a insistir que antes Pyongyang deve acabar seu programa nuclear.

– Os Estados Unidos, que possuem o maior número de armas nucleares do mundo e representam uma ameaça constante a outros países soberanos, deveriam acabar com o seu programa nuclear antes de um país pequeno (como a Coréia do Norte) – disse a KCNA.

As negociações em Pequim foram o primeiro contato de alto nível entre os Estados Unidos e a Coréia do Norte desde o início da crise nuclear em outubro, quando Washington acusou Pyongyang de ter um programa secreto de armas nucleares.

Na quarta-feira, a Coréia do Sul e a Coréia do Norte concordaram em tentar resolver o impasse de forma pacífica depois de quatro dias de negociações.

– A Coréia do Sul e a Coréia do Norte vão fazer consultas profundas sobre as respectivas posições em relação à questão nuclear na península coreana, e vão continuar a cooperação para resolver essa questão de forma pacífica e através do diálogo – disse o comunicado conjunto emitido ao fim dessas negociações.

Segundo analistas, a Coréia do Norte fez acordos semelhantes em vezes anteriores e é improvável que esse último comunicado represente uma mudança significativa.

O comunicado não incluiu a demanda da Coréia do Sul para que Pyongyang fizesse referências explícitas a acabar com suas ambições nucleares.

Os dois lados concordaram em promover novas negociações ministeriais em Seul, em julho.

A Coréia do Norte também indicou que apoiaria o pedido da Coréia do Sul para ser a sede dos Jogos Olímpicos de Inverno em 2010.