Para Álvaro Dias, governo age como ‘moleque brincalhão’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 4 de janeiro de 2008 as 11:00, por: cdb

O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) afirmou nesta sexta-feira que o governo agiu como “moleque brincalhão” ao aumentar impostos para compensar o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Segundo ele, o governo não poderia ter descumprido um compromisso, firmado diante da oposição, de que os impostos não seriam aumentados.

– O governo assumiu um compromisso diante da oposição de que não haveria aumento de impostos, e já no segundo dia do ano o governo se apresenta com esse presente, que prejudica sobretudo os assalariados”, disse.

O senador negou que a partir de agora a oposição vá boicotar as emendas apresentadas pelo governo ao Congresso, mas disse que o projeto do Orçamento, que sofrera cortes para compensar a perda da CPMF, será rigorosamente analisado.

– Se o governo encaminhar ao Congresso emendas que atendam ao interesse público, elas serão aprovadas. A oposição não pretende boicotar votação do orçamento e sim estabelecer rigor nessa votação, afirmou.

Dias ressaltou que, em vez de fazer cortes no Orçamento, o mais correto seria controlar os gastos em obras públicas. Segundo ele, o País perde com a maioria de suas obras, que apresentam sinais de superfaturamento.

Álvaro Dias disse ainda que, diante do que considerou um “descompromisso” do governo, a oposição deve voltar a insistir na aprovação da proposta do Orçamento Impositivo. Com ela, os gastos em custeio e investimentos estabelecidos pelo Congresso devem ser respeitados pelo Executivo.