Papa canoniza Frei Galvão diante de 1,5 milhão de fiéis

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 11 de maio de 2007 as 09:58, por: cdb

O papa Bento XVI chegou ao Campo de Marte por às 9h05 desta sexta-feira, e foi aclamado por  milhares de pessoas reunidas para a missa de canonização do Frei Galvão, o primeiro santo nascido no Brasil.

O papa chegou de carro, que saiu do Mosteiro de São Bento, mas entrou no papamóvel, fazendo um passeio em meio à multidão.

Segundo o Comando Militar do Sudeste, pelo menos 1,5 milhão de pessoas participam da missa. O Campo de Marte, Zona Norte de São Paulo, abriu os portões abertos por volta de 1h30 desta  sexta-feira.

Entre os primeiros a entrar estavam milhares de jovens que haviam acabado de participar do encontro com Bento XVI no Pacaembu, na noite de quinta-feira. Desde as 6 horas o movimento se tornou mais intenso, com um crescente número de fiéis chegando.

Bandas animaram o público desde o amanhecer. Por volta das 6 horas o show foi comandado pelo Padre Marcelo. Corais e grupos musicais dos Estados de São Paulo e Minas Gerais revezaram-se em apresentações.

Família do frade

Parente da sétima geração do primeiro santo brasileiro, Eliane Fortes, 29 anos, não carrega mais o sobrenome Galvão. Uma das mais jovens entre os parentes, ela trabalhou duro no processo de canonização do frade. “Recebo pedidos das pílulas milagrosas de todos os lugares do País e do mundo”, afirmou. “Até pelo orkut eu já fiz a distribuição.”

O papa preside uma missa com características especiais. São raras as vezes em que uma missa de canonização ocorre no país natal do santo, e esta não será celebrada em latim, mas em          português.

Nesta especial deferência ao Brasil, Bento XVI canoniza um frade franciscano nascido em Guaratinguetá (SP) em 1739. O papa se refere a Frei Galvão como “homem sábio e prudente”, que atraía as pessoas pela capacidade de compreender seus problemas e dificuldades.

 Além de consagrar Frei Galvão como santo, a celebração vai apresentar aos fiéis uma relíquia de Frei Galvão: o pequeno pedaço de um de seus ossos. O papa fará um pronunciamento em português, falando da obra do frade brasileiro e encerrando com mais uma exortação ao compromisso e ao empenho dos cristãos para trilhar uma vida de valores éticos.

A química paulista Sandra de Almeida, 37 anos, vai participar da cerimônia, por ter seu caso inscrito no processo de canonização. A Igreja considera que foi um milagre o fato de Sandra ter conseguido dado à luz seu filho Enzo, em 1999, depois de ter ingerido as chamadas pílulas de Frei Galvão.