Palmeiras estréia com vitória

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 26 de janeiro de 2003 as 19:13, por: cdb

Ano novo, vida nova. Pelo menos no placar final, o Palmeiras foi bem diferente dos últimos jogos do ano passado. Jogando no Parque Antarctica, o Verdão derrotou o Mogi Mirim, por 2 x 1, na primeira rodada do Campeonato Paulista.

O estreante Leandro e Magraão fizeram os gols da equipe palmeirense, enquanto Denis descontou para o Mogi.

Na estréia oficial de 2003, o Palmeiras apresentou dois tempos distintos. No primeiro, lembrou o segundo semestre de 2002, quando foi rebaixado à segunda divisão. Erros de passes, falta de criatividade e sem objetividade foram nítidos no time que parecia ainda ser comandado por Levir Culpi

Na etapa final, o time mudou de atitude. Vontade, marcação forte e jogando para frente, marcas do técnico Jair Picerni. A principal virtude foi colocar em campo o veterano Adãozinho, que jogou ao lado de Claudecir e Magrão. Além do comandante, os três jogadores tiveram passagem de sucesso pelo São Caetano.

O Palmeiras volta a jogar pelo Paulistão contra a Ponte Preta, em Campinas, na próxima quarta-feira (29). No mesmo dia, o Mogi recebe o Rio Branco. As duas equipes fazem parte do Grupo 1, ao lado de Guarani, Ituano, Ponte Preta, Rio Branco e União Barbarense.

JOGO

Os primeiros 45 minutos deixaram a torcida do Palmeiras muito preocupada. A desorganização da equipe de Parque Antarctica era tão grande que a equipe teve apenas uma oportunidade no primeiro tempo. Aos dois minutos, Pedrinho cobrou escanteio e Muñoz cabeceou a bola na trave do goleiro Marcelo Galvão. Com tantos erros sucessivos, o time do Interior paulista foi melhor na fraca etapa inicial.

Outro dado que lembrou, e muito, 2002 foi Marcos. O goleiro, que ainda não acertou a transferência para o Arsenal, da Inglaterra, foi o melhor jogador em campo, fato comum na péssima campanha do ano passado. Marcos evitou o primeiro gol da equipe de Mogi-Mirim em três oportunidades.

A paciência da torcida acabou quando o árbitro Rodrigo Bragheto apitou o fim do primeiro tempo. Os palmeirenses vaiaram alguns jogadores. Um dos mais criticados foi Neném. Mal em campo, o lateral tem a incumbência de substituir Arce, que foi negociado com o Gamba Osaka, do Japão.

Para o segundo tempo, o Palmeiras voltou diferente. Não que a equipe tenha praticado um futebol brilhante, mas a postura mudou. Além de melhorar a marcação, o meio-campo de campo começou a funcionar. Adãozinho, que entrou no lugar de Zinho e fazia sua estréia oficial com a camisa do Verdão, deu mais tranqüilidade ao setor da equipe.

O gol não demorou a sair. Aos 5 minutos, Magrão caminhou com a bola desde o meio-campo e teve tranqüilidade para tocar no canto direito de Marcelo Galvão.

Jogando com calma, o Palmeiras criava novas oportunidades para ampliar o placar. Muñoz e Pedrinho tiveram chances. Com tanta tranqüilidade, o técnico palmeirense resolveu fazer outra estréia. Colocou Leandro no lugar de Dodô. O ex-atacante do São Paulo e Portuguesa, recebeu de Pedrinho e chutou para o fundo da rede.

O Mogi-Mirim não saiu em branco do Parque Antarctica. Cobrando pênalti, o atacante Denis marcou o único gol da equipe do Interior paulista

PALMEIRAS 2 x 1 MOGI MIRIM

Palmeiras
Marcos; Neném (Pedro); Leonardo, Índio e Everaldo; Claudecir, Magrão, Zinho (Adãozinho) e Pedrinho; Dodô (Leandro) e Muñoz
Técnico: Jair Picerni

Mogi Mirim
Marcelo Galvão; Joel, Paulinho e Diego; Passos, Zé Carlos, Batistinha (Cleiton), Joílson e Alessandro; Cris (Leandro) e Douglas (Dênis).
Técnico: Luís Carlos Winck

Data: 26/1/2003 (domingo)
Local: Parque Antarctica
Horário: 17h
Árbitro: Rodrigo Braghetto (SP)
cartão amarelo: Leonardo e Muñoz (Palmeiras); Alessandro, Diego e Douglas (Mogi-Mirim)
cartão vermelho:
gols: Magrão, aos 5 min.; e Leandro, aos 32 min.; e Denis, aos 41 min. do segundo tempo.