Palmeiras empata com o Gama para tristeza da torcida

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 13 de setembro de 2003 as 19:21, por: cdb

O que era para ser mais um passeio do Palmeiras no Palestra acabou se transformando em um dos jogos mais difíceis da Série B. A equipe só empatou com o Gama, penúltimo colocado, por 2 a 2, mas manteve a liderança agora com 41 pontos. “Infelizmente não conseguimos vencer”, resumiu Vágner Love.

Precisando desesperadamente da vitória para fugir das últimas colocações, o Gama jogou de igual para igual e surpreendeu o técnico Jair Picerni, que antes da bola rolar ironizava o esquema 4-3-3 montado pelo adversário. “Será que eles vão mesmo jogar para vencer?” Mas bastaram os minutos iniciais para Picerni comprovar que sim.

Embora seu time articulasse a bola com correção, a dificuldade para se chegar ao gol de Luciano era visível. Tanto que a primeira chance de gol surgiu apenas aos nove minutos, e mesmo assim em uma jogada individual bem trabalhada pela esquerda em que Lúcio chutou a bola por cima.

Na jogada seguinte, o Palmeiras abriu o placar. Vágner Love arrancou da intermediária e tabelou com Diego, que de fora da área chutou à esquerda. Eram apenas 10 minutos de jogo e uma nova goleada se prenunciava. No entanto, coube a defesa do Palmeiras estragar a festa da torcida, que ontem, pela primeira vez na Série B em partidas em São Paulo, compareceu em pequeno número (menos de 8 mil pagantes).

Dois minutos depois, após uma cobrança de escanteio, Daniel e Leonardo falharam e Ânderson, aproveitando-se de um rebote, desviou para o gol. O lance provocou a revolta de Marcos, que levantou os braços e reclamou publicamente do posicionamento da zaga. Enquanto o goleiro reclamava, Magrão deixava o campo contundido para a entrada de Elson.

O time de Brasília mal teve tempo para comemorar. Tão logo foi dada a saída, Elson lançou Edmílson, que com um leve toque desviou a bola de Luciano e desempatou. Mas novamente a alegria durou pouco. Aos 15 minutos, após mais um escanteio, a bola foi desviada para o interior da área e Adriano concluiu para fazer 2 a 2.

O lance gerou novas reclamações de Marcos, que ao descer para o vestiário no intervalo não aliviou. “O time até que está jogando bem, mas os gols que levamos hoje (ontem) tiveram o efeito de um balde de água fria na torcida. Aliás, faz tempo que estamos sofrendo gols de cabeça.” O zagueiro Daniel, diretamente atingido pelas declarações, contemporizou. “O Gama não tinha nada a perder. E se aproveitou de dois lances de bola parada para marcar dois gols”.

Na etapa final, com Muñoz em lugar do inofensivo Edmílson, o Palmeiras cresceu. Mas foi o Gama que teve a primeira chance de desempatar aos 6 minutos, em um lance em que Marcos dividiu a bola com Ânderson. No minuto seguinte, Muñoz quase marcou de cabeça mas o zagueiro Émerson salvou.

O time perdeu Alceu com uma torção no joelho e ficou com 10 homens em campo. Mesmo assim, ainda teve as últimas chances para vencer com Vágner Love, aos 28 minutos, e com Correia, 12 minutos depois.