Palmeira vence e evita vexame histórico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 27 de setembro de 2002 as 13:08, por: cdb

Ufa! Com um gol de Itamar, suado, no segundo tempo, o Palmeiras derrotou nesta quinta-feira o Paysandu e evitou um novo recorde negativo no Campeonato Brasileiro.

O Verdão, agora com dez pontos e ao lado do próprio Papão, Goiás e Paraná, nas últimas colocações da competição, não vencia há nove rodadas (sete derrotas e dois empates). Em 1985, a equipe do Parque Antarctica amargou um jejum de dez partidas.

Foi o primeiro triunfo de Levir Culpi à frente do time, que terá pela frente nos próximos três jogos, clássicos estaduais: Santos, São Paulo e Portuguesa.

Praticamente com força máxima – Marcos, Arce e Zinho retornaram ao time (Paulo Assunção, suspenso e Rubens Cardoso, contundido, não jogaram) -, o Palmeiras pressionou o Paysandu desde o início da partida.

Apoiado pelos torcedores, que compareceram em bom número, o Verdão não dava espaços ao Papão, que, esporadicamente, arriscava-se nos contra-ataques. O vencedor da Copa dos Campeões não pode contar com Jóbson, artilheiro da equipe no Brasileirão, com oito gols.

Aos 24min e 27min, o alviverde esteve muito perto de abrir o placar, em faltas cobradas por Arce. A primeira explodiu no travessão; na seqüência, Marcão fez grande defesa.

O goleiro do Paysandu estava inspirado – e com sorte. Um minuto mais tarde, espalmou o forte chute de Dodô e presenciou a bola de Nenê, após o artilheiro driblar dois zagueiros, passar à esquerda da meta bicolor.

Apesar do maior volume de jogo, o gol do Palmeiras não saia. E a equipe, como aconteceu nas últimas rodadas, demonstrava uma certa intranqüilidade. Sorte do Papão, que se soltou em campo e chegou a incomodar Marcos no final do primeiro tempo.

O ímpeto do Verdão não mudou na etapa complementar. Leonardo Moura, Nenê e Lopes desperdiçaram boas chances; a torcida, não parava de gritar.

Disposto a encerrar o jejum de vitórias do alviverde, aos 17min, Levir Culpi abre definitivamente o alviverde. Troca Lopes por Muñoz e Dodô por Itamar. E a estratégia do treinador funcionou perfeitamente.

Aos 24min, Munõz invadiu a área, cortou um defensor do Papão e tocou para Itamar, que chutou cruzado, vencendo finalmente Marcão. Festa, choro e alívio no Parque Antarctica.

Contra o Santos, domingo (na Vila Belmiro) Levir não poderá contar com Nenê, que recebeu o terceiro cartão amarelo e cumprirá suspensão.

PALMEIRAS 1 x 0 PAYSANDU

Palmeiras
Marcos; Leonardo, Alexandre e César; Arce, Flávio, Lopes (Muñoz), Zinho e Leonardo Moura; Dodô (Itamar) e Nenê
Técnico: Levir Culpi

Paysandu
Marcão; Marcos, Tinho, Márcio e Luís Fernando; Vânderson , Élson (Magno), Sandro e Welber; Zé Augusto (Valdomiro) e Cleison Rato (Albertino)
Técnico: Hélio dos Anjos

Data: 26/09/2002 (quinta-feira)
Horário: 20h30
Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (Fifa-RJ)
Árbitro: 13.049 pessoas
Cartões amarelos: Flávio, Nenê, Leonardo (P); Élson, Welber
Gols: Itamar, aos 24min do segundo tempo