Palácio de Buckingham investiga ‘infiltração’ de repórter

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de novembro de 2003 as 11:50, por: cdb

Um porta-voz do Palácio de Buckingham disse que um inquérito vai ser aberto para investigar as afirmações do repórter de um tablóide britânico de que passou dois meses trabalhando na residência oficial da rainha em Londres, expondo uma falha grave na segurança em torno da família real.

O jornal britânico Daily Mirror disse que um de seus repórteres teria trabalhado secretamente no Palácio de Buckingham como empregado pessoal da família real, apesar do forte esquema de segurança montado por causa da visita do presidente George W. Bush.

O jornalista Ryan Parry disse que teve acesso irrestrito aos aposentos do Palácio de Buckingham.
Ele disse ainda que poderia ter envenenado Elizabeth 2ª na hora em que levou a bandeja do seu café-da-manhã.

‘Inacreditável’

Parry contou que o Palácio só checou uma de suas referências, ao telefonar para um amigo num pub.
O editor do Daily Mirror, Piers Morgan, disse que era inacreditável como o seu repórter não foi desmascarado.

A edição desta quarta-feira do jornal publica várias fotos do repórter Ryan Parry em áreas a que apenas funcionários de alta confiança teriam acesso.

O jornal diz que os pertences do repórter jamais foram revistados quando ele entrava e saía do palácio.

Uma das fotografias mostra Parry no que seria o quarto reservado para o presidente americano, George W. Bush, e sua mulher, Laura, dias antes da chegada do presidente.

“Se eu fosse um terrorista tentando matar a rainha ou o presidente George Bush, eu teria conseguido com uma facilidade incrível”, afirmou o repórter no jornal.