Pais biológicos de Pedrinho desistem de pedir a guarda

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 13 de maio de 2003 as 10:26, por: cdb

A empresária Vilma Martins deixou o Hospital Geral de Urgências de Goiânia (Hugo) às 9h40 e foi encaminhada para o Deic (Delegacia Estadual de Investigações Criminais para prestar depoimento, segundo informações do diretor-geral do Hugo, Luciano Sardinha.

Enquanto isso, Jayro Tapajós e Maria Auxiliadora Braule Pinto, a Lia, pais biológicos de Pedrinho, decidiram não pedir à Justiça a guarda do adolescente de 17 anos, registrado ilegalmente como Oswaldo Borges Júnior pela empresária Vilma Martins, presa nesta segunda acusada de roubar o bebê de um hospital de Brasília em 1986.

Em novembro do ano passado, depois que um exame de DNA confirmou a filiação, o casal pensou em pedir a anulação da certidão de nascimento falsa do filho para conseguir a guarda definitiva. Mas Lia e Jayro recuaram diante da reação negativa do rapaz, que ainda defendia a inocência de Vilma e fazia questão de continuar ao lado da mulher que o criou.

Passados seis meses, Pedrinho já não mantêm laços tão próximos com Vilma e tem visitado a casa dos pais biológicos com freqüência. Em Goiânia, se mudou para um apartamento de três quartos nas proximidades da escola onde cursa o 3º ano e estuda para o vestibular de Direito. O aluguel e outros gastos do apartamentos são pagos por Jayro.

No último final de semana, Pedrinho passou a Dia das Mães na companhia de Lia. Voltou para Goiânia no domingo, sabendo da possibilidade de Vilma ser presa no dia seguinte. Mas não demonstrou apreensão ou medo.

– Explicamos bem a situação. Ele mostrou que já estava preparado para o que ia acontecer – conta Jayro.