Paim pede que Dilma não vete opção ao fator previdenciário

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 15 de maio de 2015 as 12:37, por: cdb
fator previdenciário
Para Paulo Paim, Dilma não irá vetar proposta já que foi “compromisso de campanha”

O senador Paulo Paim (PT-RS) dá como certa a aprovação pelo Senado da proposta que permite ao trabalhador aplicar a chamada regra 85/95 em vez do fator previdenciário na hora da aposentadoria. Em pronunciamento nesta sexta-feira, ele fez um apelo para que a presidente Dilma Rousseff não vete o texto.

— Presidenta, isso foi compromisso de campanha (…) Sinceramente presidenta, eu não gostaria de trabalhar para derrubar esse veto — disse o parlamentar.

Aprovada pela Câmara dos Deputados na noite de quarta-feira, a regra 85/95 prevê que a mulher poderá se aposentar quando a soma de sua idade com os 30 anos de contribuição for 85. No caso do homem, a soma da idade com os 35 anos de contribuição deve dar 95. Com essa regra, a aposentadoria seria integral em relação ao salário de contribuição.

A mudança está prevista em emenda do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) à MP 664/14. Paim lembrou que em 2010, Senado e Câmara tentaram extinguir a norma por meio do Projeto de Lei de Conversão (PLV) 2/10, mas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetou essa parte da proposição por falta de acordo entre as centrais sindicais.

— Hoje, (a fórmula 85/95) é unanimidade junto ao movimento sindical – assegurou Paim.

Terceirização

Paim também criticou o projeto de lei da Câmara (PLC 30/2015), que libera a terceirização nas atividades-fim das empresas, mas afirmou que é necessário legalizar a situação dos 12,5 milhões de terceirizados.