Outros jornais entram no assunto Diana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de outubro de 2003 as 11:58, por: cdb

Correndo atrás do Daily Mirror, hoje todos os jornais e principalmente tablóides sensacionalistas compraram a idéia de ressurgir o assunto da morte de Diana.


No Metro News, jornal distribuído gratuitamente nas estações da cidade, a primeira página tem uma foto gigantesca da Princesa chorando e dizendo que iria morrer para que Charles pudesse ficar com Camila. Enfim, todo o circo está armado novamente.


Os britânicos estão cada vez mais piedosos com relação à fábula da Princesa às avessas e a popularidade de Charles está indo mais uma vez pelo buraco. Alia, ele sempre esteve fora da corrida pelo coração dos súditos. Quem disputa o quesito “queridinho do Reino Unido” é Tony Blair, a Rainha Mãe e atualmente David Beckham. A Rainha ainda é a vencedora.

 

Aqui pode-se falar mal de todo mundo, menos da Rainha. Tony Blair está abaladíssimo depois da Guerra contra o Iraque e David Beckham é tido como traidor por alguns por ter ido para a Espanha.


Diana morreu, mas deixou um vácuo enorme em quem seria a nova preferida do povo inglês. Aliás, dizem as “más línguas da boca pequena”, que era esse favoritismo enorme em prol dela que a Rainha odiava e tomava como grande mal.


Também começa a ser questionada a tal culpa da “imprensa marrom” na morte da Princesa. Se foram os paparazzi que causaram o acidente e isso pode ser entendido desde a pressão pela qual ela vinha passando por causa de seu namoro com Alfaedi até pela perseguição propriamente dita.


Sempre se falou muito sobre isso e até os príncipes tiveram problemas e foi por isso que durante o ano passado, Harry se isolou em uma floresta por dois meses para se afastar de fotógrafos por toda parte, quando saiu a notícia de que ele havia fumado maconha.


Enfim, essa é a novela da vida real que a Inglaterra vive e o fantasma de Diana continua a fomentar uma história que não teve nenhum final feliz.


Quer dizer, sem falar em Camila e Charles.