Oswaldo de Oliveira deve assumir a seleção brasileira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 6 de janeiro de 2003 as 11:11, por: cdb

O São Paulo pode ter de procurar técnico muito antes do que imagina. É que Oswaldo de Oliveira deve ser anunciado como o novo treinador da seleção pentacampeã do mundo até sexta-feira. O nome do profissional do Tricolor ganhou mais força nos últimos dias, depois de várias rodadas de conversa do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, com amigos e dirigentes da entidade.

A possibilidade de Vanderlei Luxemburgo ser o escolhido diminuiu bastante, embora não esteja totalmente descartada. Nenhum outro nome disputa o lugar deixado por Luiz Felipe Scolari, após o Mundial de 2002.

Teixeira decidiu optar pela continuidade do cargo de coordenador-técnico na seleção e quer que Carlos Alberto Parreira assuma a função. O convite a Parreira e a Oliveira deve ser formulado até quarta-feira. Somente nesta segunda-feira, Teixeira retorna de Montevidéu, onde participou de reuniões na Confederação Sul-Americana.

Ele também guarda um trunfo para o caso de uma improvável recusa de Parreira ao convite: se isso ocorresse, chamaria Zagallo para ser o coordenador. Como a hipótese é diminuta, Zagallo deve ser contratado para um cargo especial na CBF.

A inclinação por Parreira deve-se a longa amizade entre o técnico e o presidente Ricardo Teixeira, além do currículo vitorioso do treinador do Corinthians. Por várias vezes, Parreira já deixou claro que sua preferência para substituto de Scolari na seleção é Oswaldo de Oliveira, de quem foi professor nos anos 70.

De acordo com Parreira, Oliveira tem postura de técnico de seleção, além de competência, carisma e liderança. A dobradinha Parreira-Oliveira manteria o clima de integração na estrutura da comissão técnica da seleção. O supervisor Américo Faria é muito próximo a Parreira e também a Zagallo e, na prática, até exerce um pouco as tarefas de coordenador. Os demais profissionais a serviço do futebol da CBF, como médicos, pessoal da administração, massagistas, roupeiros, etc, mantêm relação de extrema cordialidade com Parreira.

Confirmando-se a indicação já mais que evidente de Oliveira ele, no entanto, só poderia levar para trabalhar na seleção equipe bem minguada: preparador físico, treinador de goleiros e auxiliar. Teixeira considera esse número suficiente para o início das atividades do novo treinador. Outro ponto que o dirigente pretende ressaltar no dia da divulgação da nova comissão técnica vai ser o bom entrosamento entre os profissionais da equipe principal com os das outras seleções. Figura-chave no processo será o técnico da seleção sub-23, Ricardo Gomes.

A intenção de Teixeira é que Gomes participe de reuniões com o coodernador e treinador do time principal. Entre outras coisas eles vão discutir como deve ser feita a convocação de determinados jogadores. Isso porque, a sub-23 vai disputar amistosos nas mesmas datas em que a seleção pentacampeã também atuará.