Osmar pede união da bancada para minimizar efeitos da seca

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 12:02, por: cdb

 O parlamentar argumenta que para se alcançar uma rápida e eficiente ação do Governo Federal em relação à longa estiagem que atinge o Piauí é preciso unir as forças políticas.
O deputado federal Osmar Júnior enviou correspondência ao coordenador da bancada federal, senador João Vicente Claudino, propondo que ele solicite uma audiência ao governador Wilson Martins, para que os senadores e deputados possam conhecer os planos do governo estadual para enfrentar os efeitos da estiagem, especialmente após a visita do Ministro da Integração Nacional Alexandre Navarro.

O parlamentar argumenta que para se alcançar uma rápida e eficiente ação do Governo Federal em relação à longa estiagem que atinge o Piauí é preciso unir as forças políticas. “ É preciso que a bancada piauiense tome conhecimento das providencias requeridas ao governo federal, assim como aquelas já autorizadas pela Presidente da República, e em execução”, diz.

Osmar chama atenção para a necessidade de reunir segmentos políticos e sociais, com um programa de ação conjunto do governo estadual, prefeituras municipais e, principalmente, pelas organizações dos trabalhadores rurais, vitimas permanentes do flagelo da seca. “Pelas informações de órgãos técnicos publicadas na imprensa local, a falta de chuvas neste “inverno”, período que vai de fins de novembro a abril, só tem paralelo àquela ocorrida em 1932, de triste lembrança para nosso povo”.

A situação está a exigir, segundo o deputado do PC do B, uma ação governamental rápida e eficiente para amenizar o sofrimento da população que trabalha no campo. “ Precisamos também aprofundar as políticas de implantação de mecanismos permanentes de convivência com o semi-árido, única forma de reduzir a níveis mínimos os efeitos da irregularidade das chuvas, fenômeno natural em nossa região”, garante.

Ele lembra que a ação unida das forças políticas e sociais se faz mais necessária, tendo em vista a centralizada e excessiva burocracia da estrutura governamental do Estado brasileiro, que emperra a execução de programas públicos, impedindo que seus objetivos sejam plenamente atingidos. “ Exemplo recente foi o não atendimento pelo Programa Garantia Safra de mais de 100 mil trabalhadores rurais piauienses, especialmente aqueles do município de São Francisco de Assis, que ninguém tem duvidas que perderam suas safras referentes a 2010/2011, mas que a burocracia excessiva não deixou que fossem socorridos”, finaliza.