Os três grandes goleiros do Brasil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 22 de junho de 2011 as 18:18, por: cdb

 Julio Cesar, Victor e Jefferson têm características semelhantes e um ponto em comun: goleiros de alto nível

– Foto:Rafael Ribeiro / CBF

Julio Cesar é o mais experiente, com duas Copas do Mundo nocurrículo. Titular absoluto da Seleção Brasileira, apontado pormuitos como o melhor goleiro do mundo, Julio está nesta edição2011 em busca do seu bicampeonato da Copa América – em 2004, noPeru, foi decisivo para a conquista na disputa em cobrança depênaltis na final contra a Argentina.Victor se destacou no Grêmio, foi convocado seguidasvezes antes da Copa do Mundo de 2010, mas acabou ficando defora da lista final. Retomou a sua trajetória na Seleção com ManoMenezes e continua brilhando no Grêmio.Jefferson é uma das apostas de Mano Menezes na atual Seleção,convocado frequentemente pelo técnico. Mostra no Botafogo jáhá algum tempo uma forma que o põe no nível dos grandesgoleiros.Eles são os três camisas 1 da Seleção Brasileira na Copa Américada Argentina que, à parte suas individualidades biológicas, têmcaracterísticas semelhantes, como explica o preparador FranciscoCercósimo.- Eles êm características e pontos fortes similares, com aagilidade e rapidez,  e ainda um ponto em comum: são canhotos.Além de serem três grandes goleiros.O baiano Francisco Cercósimo tem a tarefa diária de trabalhar -e como os goleiros trabalham ! – com Julio Cesar, Victor eJefferson. Ser treinador de goleiros consagrados pode não seruma tarefa fácil, afinal são goleiros de Seleção competindo por umlugar no time. Só que, sendo também profissionais de altonível, mantêm um bom relacionamento que ajuda, e muito, nosucesso da preparação.- Eles estão muito bem integrados ao grupo, têm um bomrelacionamento, e isso facilita o trabalho.Victor e Jefferson dão razão às palavras de Cercósimo, namaneira como responderem às perguntas feitas na entrevista coletivadesta quinta-feira, sobre como se sentiam sendo reservas de umgoleiro como Julio Cesar.- Para mim é uma honra ser reserva do melhor goleiro do mundo -disse Victor.-Julio Cesar é o mais experiente, com duas Copas do Mundo nocurrículo. Titular absoluto da Seleção Brasileira, apontado pormuitos como o melhor goleiro do mundo, Julio está nesta edição2011 em busca do seu bicampeonato da Copa América – em 2004, noPeru, foi decisivo para a conquista na disputa em cobrança depênaltis na final contra a Argentina.Victor se destacou no Grêmio, foi convocado seguidasvezes antes da Copa do Mundo de 2010, mas acabou ficando defora da lista final. Retomou a sua trajetória na Seleção com ManoMenezes e continua brilhando no Grêmio.Jefferson é uma das apostas de Mano Menezes na atual Seleção,convocado frequentemente pelo técnico. Mostra no Botafogo jáhá algum tempo uma forma que o põe no nível dos grandesgoleiros.Eles são os três camisas 1 da Seleção Brasileira na Copa Américada Argentina que, à parte suas individualidades biológicas, têmcaracterísticas semelhantes, como explica o preparador FranciscoCercósimo.- Eles êm características e pontos fortes similares, com aagilidade e rapidez,  e ainda um ponto em comum: são canhotos.Além de serem três grandes goleiros.O baiano Francisco Cercósimo tem a tarefa diária de trabalhar -e como os goleiros trabalham ! – com Julio Cesar, Victor eJefferson. Ser treinador de goleiros consagrados pode não seruma tarefa fácil, afinal são goleiros de Seleção competindo por umlugar no time. Só que, sendo também profissionais de altonível, mantêm um bom relacionamento que ajuda, e muito, nosucesso da preparação.- Eles estão muito bem integrados ao grupo, têm um bomrelacionamento, e isso facilita o trabalho.Victor e Jefferson dão razão às palavras de Cercósimo, namaneira como responderem às perguntas feitas na entrevista coletivadesta quinta-feira, sobre como se sentiam sendo reservas de umgoleiro como Julio Cesar.- Para mim é uma honra ser reserva do melhor goleiro do mundo -disse Victor.- Sempre admirei o Julio como goleiro. Agora, com umrelacionamento maior, o admiro também como amigo.