Os 80 anos de Ziraldo, o verdadeiro maluquinho

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de outubro de 2012 as 10:21, por: cdb

Cartunista, jornalista e pensador, Ziraldo completa hoje seus 80 anos mantendo uma agenda cheia de compromissos, desejos a serem realizados e um bom humor que ninguém consegue tirar.

Ziraldo faz aniversário nesta quarta (24).

Os 80 anos chegaram para Ziraldo. O dia exato desta comemoração é hoje, mas ele já avisou que não haverá uma grande festa. Pelo menos, não que seja seu desejo. “Quando fiz 70 minhas filhas deram uma festa no Copacabana Palace que foi a maior festa que já houve no Rio. Todo ser humano tem que ter a sua festa. Já cumpri. Com 80, não quero”, declarou ele ao portal Yahoo, justificando que tem medo de esquecer algum convidado, coisa que aconteceu 10 anos atrás.

Ainda assim, comemorações não vão faltar, como uma homenagem prevista para agosto de 2013, quando seu nome será exaltado na 16ª edição da Bienal do Livro Rio.

Mas, por enquanto, ele está mais interessado em compromissos, como o contrato de cinco livros que firmou com a editora Melhoramentos. Será um por ano, como ele afirmou, para garantir que estará vivo durante esse tempo para cumprir o prometido. Há também projeto para uma compilação de haicais do Menino Maluquinho e um livro com o significado de 500 nomes.

Nessas oito décadas de vida, Ziraldo revela que sente falta da adolescência, e não da infância. “Não tenho essa coisa de ter saudade da infância, esse papo de que infância é vida boa… Tenho saudades sim da adolescência, do rostinho colado no DCE em BH, da “nossa música”, “September Song”. Mas da infância?”

Batizado com uma combinação dos nomes do pai (Geraldo) com o da mãe (Zizinha), o meineiro de Caratinga não tem planos para encerrar uma carreira que começou nos primeiros anos da década de 1950, quando colaborou para os periódicos Era uma vez… e A Folha de Minas. Apesar de ser formado em Direito, sua vida profissional sempre foi voltada para o desenho.

Teve trabalhos publicados nas revistas A Cigarra e O Cruzeiro, fez cartazes para filmes nacionais e esteve à frente da primeira revista em quadrinhos brasileira feita por um só autor, A Turma do Pererê. A revista, que tinha como personagem principal o próprio Saci Pererê, encerrou suas atividades em 1964, com a tomada do poder pelos militares.

Mas foi outro trabalho que marcou a vida e a obra de Ziraldo de forma decisiva. Dois na verdade. O primeiro é sua participação no Pasquim, jornal carioca de forte oposição ao Governo Militar. Realizado por um time de intelectuais, o periódico usava o bom humor para fazer críticas ferinas à ditadura. Como os tempos não estavam aptos a muitas piadas, toda a equipe chegou a ser presa na época, inclusive Ziraldo.

Ao mesmo tempo, Ziraldo lançou seu primeiro livro infantil, o premiado “Flicts”. A história, que retrata uma cor que não encontrava seu lugar no mundo, foi elogiada até pelo astronauta norte-americano Neil Armstrong, que após ler o livro escreveu para o autor “the moon is Flicts” (“A lua é Flicts”, em português).

Em seguida, nos anos 1980, o nascimento do Menino Maluquinho estreitou os laços do cartunista, que prefere ser tratado como jornalista, com o público infantil.O personagem já vendeu mais de dois milhões de livros e deu origem a uma série na TVE Brasil e dois filmes estrelados por Samuel Costa.

Ao longo da vida, Ziraldo acumulou quase uma centena de livros publicados, filmes baseados em suas obras, e mais um incontável número de desenhos feitos para revistas, jornais, peças publicitárias, camisetas, e cartazes. Veja abaixo programa da TV Brasil sobre ele:

 

Com agências

 

..