Organizações lançam cartilhas didáticas e informativas sobre megaeventos e direito à moradia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de dezembro de 2012 as 16:02, por: cdb

Várias cidades-sede já estão sofrendo com os impactos e as violações de direitos humanos advindos da preparação para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Para informar e orientar a população sobre os seus direitos, moradia, entre outros assuntos, foi que recentemente foram lançadas as cartilhas “Copa pra Quem”, produzida pelo Comitê Popular da Copa de São Paulo e “Megaeventos e Direito à Moradia”, por Raquel Rolnik, Relatora da ONU.

“Copa pra Quem?”

A cartilha “Copa pra Quem?”, elaborada por entidades e organizações popularesque, aborda questões como a participação, os direitos trabalhistas, o direito à cidade, entre outros pontos.

Segundo com o Comitê de SP, a Copa acelera dois processos já em curso em todas as cidades-sede: a repressão aos pobres e aos movimentos populares e a supervalorização fundiária. “Os megaeventos não podem servir de pretexto para o aumento de políticas repressivas e contribuir para o agravamento de problemas como o da moradia”, explica.

Além disso, acrescenta que esses processos resultam em problemas sérios como o assassinato de jovens da periferia, principalmente de jovens negros/as e a violência generalizada contra as mulheres, os/as trabalhadores/as formais e informais e os movimentos sociais.

“Megaeventos e Direito à Moradia”

Produzidano âmbito da Relatoria da ONU para o Direito à Moradia Adequada, a cartilha “Megaeventos e Direito à Moradia”, de acordo com a relatora Raquel Rolnik, pretende contribuir com as mobilizações dos comitês populares e de todos que desejam que a realização de megaeventos esportivos no Brasil se dê com base no mais absoluto respeito aos direitos humanos.

Abaixo, estão disponíveis os links dos documentos para visualização:

Cartilha”Copa pra Quem?”, do Comitê Popular da Copa de SP.
Cartilha “Megaeventos e Direito à Moradia”, da relatora da ONU Raquel Rolnik.