Oposição quer alinhamento à ONU e não aos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 13 de setembro de 2001 as 22:19, por: cdb

“O Brasil deve defender nas Nações Unidas o caminho da paz, do diálogo e o não alinhamento automático às decisões dos Estados Unidos em relação a possíveis retaliações”. A opinião é do deputado Walter Pinheiro (BA), líder do PT, que participou nesta quinta-feira de reunião entre o presidente Fernando Henrique Cardoso e representantes do Congresso para discutir os ataques terroristas aos EUA.

No encontro, ocorrido no início da tarde no Palácio do Planalto, o líder reafirmou que o PT considera o atentado como um ato criminoso e que as negociações de paz são a única via para a resolução dos conflitos. Segundo o líder não pode haver troco à altura. “Se as coisas forem olho por olho as pessoas vão acabar ficando cegas”, observou. Para ele, o que está acontecendo neste momento no mundo é uma banalização do valor da vida.

Pinheiro disse que atualmente “a preocupação é centrada no mercado, no valor do petróleo e na taxa de câmbio”. Nos EUA, completou, pode estar havendo agora um clima de pânico e sede de vingança, “mas nem com todo o aparato tecnológico que os norte-americanos têm, foi possível evitar a brutalidade desse ato terrorista. O mundo precisa ter outros tipos de aparatos, que busquem o diálogo e a paz”.

O líder petista disse ainda que o governo de Fernando Henrique não pode usar o problema “para dizer que haverá impacto na economia”. Ele informou que FHC deixou claro que se a ação terrorista for de Estado, este será considerado inimigo do Brasil e inimigo da paz. Segundo ele, o encontro desta tarde foi importante para respaldar a posição do Brasil na ONU, “posição que será de nação, não de governo”. Pelo PT participou da reunião também o senador Tião Viana (AC).