Operação prende três e 11 morrem em tiroteios com a polícia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de maio de 2010 as 10:52, por: cdb

Um dia depois da decisão da transferência da sede do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM para Ramos, próximo ao Complexo da Maré, cerca de 250 policiais de todas as delegacias especializadas e da capital realizaram, neste domingo, uma operação de grande porte neste conjunto de favelas.

Durante a ação, seis pessoas morreram em confrontos com os policiais e três foram presas. Além de combater o tráfico, a incursão teve como objetivo desarticular quadrilhas de roubo de veículos que atuam nas linhas Vermelha e Amarela, na Avenida Brasil, em Bonsucesso e na Ilha do Governador. Com isso, a polícia aperta o cerco em torno do complexo com maior número de favelas do Rio de Janeiro (são 17 favelas ao todo). A região também deverá ganhar uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), mas ainda não há previsão de data para sua instalação.

Um dos mortos durante a operação deste domingo é o traficante Ivanildo Francelino dos Santos, que chefiava o roubo de veículos nos arredores da Maré, além de ser acusado do assassinato do repórter fotográfico André Azevedo, do jornal “O Dia”, ocorrido no ano passado, na Avenida Brasil.

Pitoco era procurado desde setembro de 2008, acusado da morte de motoristas em assaltos a veículos em Ramos. O traficante estava escondido em uma das casas da favela Nova Holanda e reagiu à prisão a tiros.

Os policiais civis também prenderam Rogério Rodrigo de Freitas, o Pará, acusado de envolvimento numa quadrilha que roubava veículos na Ilha do Governador e em Bonsucesso, sendo que duas granadas também foram apreendidas no local.

 No Parque União, a polícia encontrou ainda um paiol de armas e na Nova Holanda, também foi localizada uma prensa que estaria sendo usada pelos traficantes na fabricação de armas ou drogas. 

As duas favelas pertencem à mesma facção criminosa que controla a venda de drogas no local. Para tentar atrasar a incursão policial, traficantes atravessaram um ônibus em uma das principais entradas da comunidade, na Rua Teresa Ribeiro.

A operação foi realizada por vinte delegacias especializadas, com o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e de outras 15 delegacias distritais. Segundo o diretor geral de delegacias especializadas, delegado Rodrigo Oliveira, o objetivo da operação era combater as quadrilhas que controlam a venda de drogas na região, apreender armas e recuperar veículos roubados.

Na Vila da Penha, cinco suspeitos morreram durante uma perseguição pelo bairro no domingo à noite. Policiais abordaram um grupo de quinze homens que estavam em três carros, dando início a um tiroteio.

Segundo a polícia, cinco suspeitos morreram no confronto, mas os demais conseguiram fugir. “Nós recebemos uma denúncia de que um bonde de traficantes estava circulando pelo bairro para promover uma ação criminosa. Tentamos parar os carros, mas eles atiraram nos policiais”, disse o major Sales, da Polícia Militar.