Operação prende quatrilha especializada em lavagem de dinheiro no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 9 de abril de 2015 as 14:26, por: cdb
O grupo é investigado por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
O grupo é investigado por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro

Uma operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) prendeu nesta quinta-feira, o ex-secretário municipal de Planejamento, Orçamento e  Gestão de Búzios e outras cinco pessoas.

O grupo é investigado por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Segundo o MP, os acusados, que seria liderado pelo ex-secretário Ruy Ferreira Borba Filho, movimentou R$ 16 milhões entre 2008 e 2013.

Kauê Alessi Torres, que também esteve envolvido no esquema, permanece foragido. A operação continua em andamento, o Ministério Público conseguiu o bloqueio de bens de todos os denunciados e de ambas as empresas.

A operação ocorreu nos municípios de Búzios, Niterói, Rio de Janeiro, além de cidades do Rio Grande do Sul e São Paulo. De acordo com a denúncia, Ruy Fillho era o líder do grupo e praticava diferentes técnicas de lavagem de dinheiro.

O ex-secretário do município de Búzios entre 2009 e 2012 abriu uma empresa de fachada, a RBF Participações e Serviços Ltda., para que pudesse abrir contas e movimentar recursos entre os bandidos.

A empresa tinha relações jurídicas com duas sociedades sediadas em paraísos fiscais em Londres e nas Ilhas Virgens Britânicas, a fim de integrar o dinheiro lavado, segundo informações do portal R7. De acordo com o MP, a ocultação e dissimulação do dinheiro eram feitas a partir de remessas ilícitas ao exterior, que retornavam ao País como simulação de empréstimos tomados pelo ex-secretário a partir da RBF e da Fundação Bem Te Vi, instituição sem fins lucrativos controlada por ele.