ONU sabia de expansão de programa nuclear iraniano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de fevereiro de 2003 as 23:03, por: cdb

A Agência Internacional da Energia Atômica (AIEA), da ONU, anunciou que já tinha informações sobre as reservas de urânio do Irã e sobre a expansão do programa nuclear do país.

“Os iranianos nos comunicaram oficialmente em setembro os planos de desenvolver um ambicioso programa nuclear, que envolveria o ciclo completo do combustível nuclear”, disse Melissa Fleming, uma porta-voz da AIEA.

No domingo, o presidente iraniano, Mohammad Khatami, afirmou em rede de TV que o país está extraindo o mineral de reservas na região de Savand e que já começou a processar o produto.

Khatami disse que o urânio será usado com fins pacíficos, mas no passado os Estados Unidos expressaram “preocupação” com o programa nuclear do país, classificado pelo presente George W. Bush como um dos integrantes do “Eixo do Mal”, ao lado de Iraque e Coréia do Norte.

Armas nucleares

O Irã diz que a energia nuclear ajudaria a suprir eletricidade para 65 milhões de habitantes, mas o governo dos Estados Unidos argumenta que os estoques de petróleo e de gás do país já são suficientes

O presidente do Irã deu a entender que o país pretende armazenar e controlar o resíduo da produção do combustível nuclear – que pode ser usado na produção de armas nucleares.

“Se precisamos produzir eletricidade a partir de nossas plantas nucleares, precisamos completar o ciclo e manejar o resíduo do combustível usado”, disse Khatami.

Segundo a Rússia, principal fornecedor de urânio para o Irã, o resíduo do combustível exportado ao país até então é devolvido.

O presidente iraniano não deixou claro se a nova produção vai levar o país a romper seu contrato de compra de material nuclear dos russos.

O governo iraniano também anunciou que convidou inspetores de armas da ONU (Organização das Nações Unidas) para visitar as regiões onde produz e enriquece o urânio.