ONU mantém sanções contra a Libéria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de dezembro de 2003 as 02:13, por: cdb

O Conselho de Segurança da ONU decidiu na última segunda-feira, por unanimidade, manter as sanções impostas à Libéria durante o regime de Charles Taylor, hoje exilado na Nigéria.

Por outro lado, cogitou a possibilidade de suspendê-las assim que a paz seja fortalecida e o governo adote medidas para acabar com a ‘ilegalidade’ constatada pelo enviado das Nações Unidas ao país, Jacques Klein.

O Conselho ‘não teve outra opção’ senão a de manter as sanções enquanto o governo interino de Gyude Bryant tenta dar transparência e tornar legais suas políticas, disse Klein.

Bryant terá de transformar o sistema instaurado por Taylor para que toda a renda da Libéria, inclusive a proveniente de diamantes e madeira, caia nos cofres do Estado.

– O que Taylor fez foi tirar todos os liberianos do negócio da madeira e depois vender concessões a estrangeiros a preços baixos –  afirmou.
 
– Agora Bryant terá de revisar tudo e decidir quais concessões foram legais e quais foram fraudulentas – acrescentou.

Taylor deixou o país em agosto, pressionado pela comunidade internacional, principalmente pelos Estados Unidos.

A Libéria estava mergulhada em uma sangrenta guerra civil que terminou com um acordo entre as partes em conflito assinado em Acra (Gana) e ratificado em 18 de agosto passado.

Desde 14 de outubro, o empresário Gyude Bryant encabeça um governo de transição, encarregado de organizar eleições gerais em 2005.