ONG de São Paulo organiza maior casamento comunitário do país

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 22 de abril de 2003 as 17:53, por: cdb

Para legalizar as uniões de casais pobres, sem condições de pagar as despesas normais de uma cerimônia de casamento, que custa quase R$ 200, a Organização Não-Governamental (ONG) Maria Otília Neix fez uma parceria com os três cartórios de registro civil de Ribeirão Preto e com cerca de 40 patrocinadores para fazer um casamento comunitário em 17 de maio, no estacionamento no Novo Shopping.

A intenção inicial era fazer entre 200 e 250 casamentos, mas o número, até a última quinta-feira (17), já atingia 560, além de 175 casais que aguardam documentações de outros estados. E ainda existem filas e as inscrições encerram-se na próxima sexta-feira.

“Teremos uns 700 casamentos”, prevê a presidente da ONG, a vereadora Dárcy Vera (PFL). Só a habilitação de 560 casais já coloca o acontecimento de Ribeirão Preto como o maior casamento comunitário do país, superando Macapá (AP), que fez 353 casamentos de uma vez.

A organização tenta contatar alguém do Guinness Book, o livro dos recordes, para registrar o fato. E tem mais: quem não conseguir inscrever-se agora, ainda terá outra chance, em dezembro, na segunda cerimônia coletiva.

Com a divulgação da proposta, vários brindes surgiram: uma rede de supermercados dará um bolo de 400 quilos; o shopping dará uma champanha francesa para cada casal; 96 vestidos foram doados às noivas; corte e tintura de cabelo e maquiagem serão gratuitos às noivas; cada casal receberá duas fotos de lembrança; e um jogo de quarto será sorteado entre os participantes.

A procura dos interessados em casar continua. Cada pessoa precisa de uma testemunha e tem que levar os documentos necessários. Os noivos solteiros devem apresentar o documento de indentidade (RG), o CPF e a certidão de nascimento. Para os que já se casaram anteriormente, é necessária a apresentação da certidão de casamento e de divórcio. Os viúvos devem levar a certidão de casamento e de óbito do cônjuge.

Outra exigência é o preenchimento de uma declaração atestando que não têm condições de arcar com os custos processuais de um casamento. Maiores de 16 anos e menores de 18 anos só podem preencher os documentos com as presenças dos pais.