Onda de assaltos assusta jogadores do Olympique de Marselha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de agosto de 2011 as 19:28, por: cdb

Vitorino disse que o assalto pesou para sua saída do Olympique

Uma onda de violência tem assustado os jogadores do tradicional clube francês Olympique de Marselha. Em menos de dois anos, dez atletas da equipe tiveram suas casas invadidas por quadrilhas de ladrões que agem na cidade, uma das mais violentas da França.

A última vítima da violência em Marselha foi o zagueiro brasileiro Vitorino Hilton. No dia 13 de julho, quando se preparava para dormir, o jogador viu dois assaltantes pulando o muro de sua casa.

“Eu estava recebendo dez parentes que tinham vindo me visitar”, contou o jogador, em entrevista à BBC. Vitorino só teve tempo de avisar os familiares que não saíssem de seus quartos. Em seguida, seis homens armados com pistolas arrombaram a porta da frente e invadiram sua residência.

Obrigado a ficar ajoelhado diante de um dos assaltantes, Vitorino foi agredido com duas coronhadas na cabeça. “Foram 15 minutos de terror, coisa de cinema”, disse o jogador.

Seus parentes foram mantidos reféns dentro dos quartos, entre eles seus dois filhos, de cinco e nove anos de idade. “Até hoje as crianças estão traumatizadas”, explicou o zagueiro, que acertou sua transferência para o Montpellier menos de um mês depois. “O assalto contou bastante na minha decisão de deixar o clube.”

Seguranças

Assim como Vitorino, o meia Lucho Gonzales também estava em casa quando foi surpreendido por bandidos. No caso do argentino, no entanto, os assaltantes tinham um objetivo claro. Eles queriam levar seu carro, um Bentley que estava estacionado na garagem. O jogador não chegou a ser agredido, mas passou a engrossar a lista de atletas do Olympique de Marselha vítimas de assaltos.

Em dois anos, dez atletas da equipe tiveram casas invadidas

Nem o vestiário do clube francês escapou da onda de roubos. Em abril deste ano, um homem foi detido por seguranças quando tentava deixar o centro de treinamento da equipe com uma mala cheia de camisas do time.

Para tentar proteger seus jogadores, a diretoria do Olympique de Marselha decidiu contratar seguranças particulares, que fazem rondas noturnas nos bairros onde moram os atletas.

A violência em Marselha, no entanto, não atinge apenas o clube. Disputas entre quadrilhas, com direito a troca de tiros de fuzil AK-47 em plena luz do dia, têm aterrorizado os cidadãos da cidade.

Os índices de criminalidade atingiram níveis nunca antes registrados. Somente nos primeiros meses de 2011, os assaltos à mão armada aumentaram 40% na cidade.

A degradação fez com que o presidente francês, Nicolas Sarkozy, nomeasse um novo chefe de polícia nesta segunda-feira.

Alain Gardère será o terceiro homem a tentar controlar a violência em Marselha desde que o Sarkozy assumiu a presidência em 2007.