OMS recomenda distância da China

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de abril de 2003 as 23:13, por: cdb

A Organização Mundial de Saúde (OMS) aconselhou turistas e pessoas que viajam a trabalho a não irem a Hong Kong e a certas partes da China, por causa da Síndrome Respiratória Aguda Grave, uma pneumonia que já matou pelo menos 78 pessoas em todo o mundo. Segundo a OMS, qualquer pessoa que esteja pretendendo viajar para Hong Kong ou para a província de Guangdong, na China, “deve considerar o adiamento da viagem para uma outra época”.

O alerta foi feito depois que a China informou que mais nove pessoas morreram da doença em Guangdong.

Nesta quarta-feira, uma jornalista britânica foi internada no Brasil sob suspeita de estar com a síndrome, mas o ministro da Saúde, Humberto Costa, afirmou que tudo indica que ela tem uma outra forma de pneumonia.

Sem controle

A jornalista da rede de TV ITV, que não foi identificada, tem 42 anos e viajou a São Paulo para cobrir o GP de Fórmula 1, que acontece neste domingo. Ela cobriu o GP anterior, disputado na Malásia.

A OMS disse que o surto da doença na Ásia ainda não foi controlado.

Mas autoridades da área de saúde em Hong Kong disseram que estão ganhando a luta contra a doença.

O governo de Hong Kong disse que o alerta lançado pela OMS é compreensível.

Mais de 2.200 pessoas foram infectadas em todo o mundo, provocando a imposição de medidas de emergência.

A OMS estima que a síndrome é fatal em cerca de 4% dos casos, geralmente quando atinge pessoas que têm doenças como o diabetes ou que estão com o sistema imunológico debilitado.

Mas a organização diz que em 90% dos casos as pessoas costumam se recuperar uma semana depois de terem sido infectadas.

Visita à China

A OMS disse que foi convidada pela primeira vez a visitar a província de Guangdong, no sul da China, onde acredita-se que o primeiro caso da síndrome apareceu em novembro.

Desde então, a doença já se espalhou para mais de uma dezena de países.

Não está claro se o vírus que a provoca é transmitido por espirros e tosse ou por outros meios.

Segundo a OMS, o alerta foi emitido porque ainda não se sabe como a doença é transmitida e porque, “desde 15 de março, homens de negócio têm voltado de Hong Kong para seus países com a infecção”.

A organização disse que o alerta não se aplica a outras áreas, como Cingapura, Vietnã ou Canadá, onde surtos da doença já foram controlados.

É a primeira vez em mais de dez anos que a OMS alerta viajantes a evitarem uma determinada área.