O Imperador Alemão da Fórmula Um

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de setembro de 2001 as 16:24, por: cdb

O alemão Michael Schumacher, da Ferrari, já campeão desta temporada da Fórmula Um, ganhou o Grande Prêmio da Bélgica, neste domingo, somando a 52ª vitória de sua carreira e batendo o recorde do francês Alain Prost, em uma corrida que foi interrompida por quase 30 minutos, na quarta volta, por causa de um grave acidente envolvendo o brasileiro Luciano Burti, que foi levado a um hospital e passa bem.

O brasileiro Rubens Barrichello, da Ferrari, terminou em quinto lugar, graças à quebra do italiano Jarno Trulli, da Jordan, quase no final da prova.

O britânico David Coulthard, da McLaren, foi o segundo colocado, seguido pelo italiano Giancarlo Fisichella, da Benetton, pelo finlandês Mika Hakkinen, também da McLaren.

O acidente de Burti, piloto da escuderia Prost, aconteceu na quarta volta, quando o brasileiro tentava ultrapassar o britânico Eddie Irvine, da Jaguar.

O carro de Burti patinou na pista e deslizou, batendo com toda força em uma barreira de pneus e na barreira de proteção da curva esquerda de Blanchimont, uma das mais rápidas do circuito belga. Vários pneus caíram sobre o veículo de Burti. Irvine saiu de seu carro e começou a tirar os pneus de cima do carro do brasileiro.

Segundo as últimas informações de sua assessoria, o brasileiro não sofreu danos físicos e está consciente. Após ser atendido no ambulatório do autódromo, Burti foi levado de helicóptero ao hospital da Universidade de Liège, a fim de ser submetido a uma tomografia computadorizada.

O carro-madrinha entrou na pista imediatamente, mas os comissários decidiram paralisar a prova com a bandeira vermelha, a fim de que todos os escombros fossem retirados da pista.

Prova acidentada
O acidente de Burti foi o mais grave de uma série de incidentes ocorridos nesta edição do GP da Bélgica. Apenas 13 dos 22 pilotos que começaram a corrida cruzaram a linha de chegada.

No warm-up, o espanhol Fernando Alonso já havia praticamente destruído sua Minardi e Trulli também bateu sua Jordan.

Logo na volta de apresentação, o alemão Heinz Harald Frenten, da Prost, ficou parado no grid, obrigando uma segunda formação. Dessa vez, foi a Williams do colombiano Juan Pablo Montoya que não saiu do lugar, levando-o a perder a pole position que havia conquistado na véspera.

Na quarta volta, o acidente de Burti paralisou de vez a prova e uma nova largada foi necessária. Aí, foi o carro de Ralf Schumacher, também da Williams e que estava em primeiro lugar, ficar no grid, deixando o caminho livre para Michael Schumacher e para Barrichello, que ocupavam a segunda e a terceira colocações, respectivamente.

No entanto, o brasileiro errou e foi ultrapassado por Fisichella, que ficou bastante tempo em segundo lugar, até que foi superado por Coulthard.

E Barrichello, que já havia perdido posições para a McLaren no pit-stop, ainda teve outro inconveniente: na décima sétima volta, o bico de sua Ferrari caiu, obrigando-o a voltar aos boxes. Ao retornar à prova, o brasileiro estava na nona colocação.

Mesmo assim, Barrichello conseguiu se recuperar e chegou ao sexto lugar. Com a quebra de Trulli, quase no final da prova, terminou em quinto e na frente de Ralf Schumacher, que foi o sétimo e com quem disputa o vice-campeonato, juntamente com Coulthard.

Schumacher: 10 anos na F1
Depois de garantir o título mundial, há 15 dias, com uma vitória no GP da Hungria, Michael Schumacher comemorou da melhor maneira possível seu décimo aniversário na F-1. O alemão estreou na categoria em 25 de agosto de 1991 e conseguiu sua primeira vitória um ano mais tarde, exatamente no circuito belga.

Esse foi o oitavo triunfo de Schumacher em 14 corridas disputadas nesta temporada e sua quinta no circuito de Spa Francorchamps, onde estreou na Fórmula Um há uma década.

Além de somar a 52ª vitória de sua carreira e bater o recorde de Alain Prost, Michael Schumacher também empatou com o brasileiro Ayrton Senna no número de vitórias no GP da Bélgica: cinco.

E, se