Número dois da lista de procurados americanos pode estar em estado grave

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 13 de maio de 2003 as 08:33, por: cdb

Ezat Ibrahim, segundo homem do ex-regime de Saddam Hussein, estaria em estado grave devido à falta de tratamento médico da leucemia que sofre, segundo fontes curdas entrevistadas pelo jornal árabe Asharq al Awsat.

Fontes da União Patriótica do Curdistão (UPK) iraquiano, em Bagdá, disseram ao jornal que o vice-presidente do Comando da Revolução iraquiana -que foi a principal instância de poder no antigo regime-, Ezat Ibrahim, foi visto há poucos dias no norte do país “em péssimo estado de saúde”.

Ibrahim se encontrava em uma aldeia próxima à cidade de Mossul, “se preparando” para ir à Síria”, acrescentaram as fontes.

Seu grave estado de saúde o obrigará a se entregar às tropas americanas ou às autoridades sírias.

O jornal, que entrevista fontes jornalísticas iraquianas, garante que o ex-ministro iraquiano da Defesa, Sultán Hashem Ahmed, tinha recebido alta há dois dias de um hospital da cidade de Baquba, ao nordeste de Bagdá, onde foi internado depois de sofrer um infarto cardíaco.

Tanto Ibrahim como Hashem Ahmed, figuram na lista das 55 ex-altas autoridades mais procuradas do regime de Saddam.

Alguns deles se entregaram voluntariamente às tropas americanas, que também capturaram outros enquanto tentavam fugir para do Iraque.

Por sua vez, fontes jornalísticas iraquianas, citadas também pelo jornal, disseram que o ex-ministro da Informação do Iraque, Mohamed Said al Sahaf, havia se refugiado na embaixada iraniana de Bagdá, depois que as tropas americanas ocuparam a capital no dia 9 de abril.

Al Sahaf apareceu fazendo breves declarações em alguns canais da televisão iraniana, e depois -acrescentam as fontes- “talvez tenha deixado essa representação diplomática com destino à cidade de Hela, no sudeste de Bagdá, onde tem alguns parentes.