Número de vôos atrasados no carnaval foi menor que o registrado nos últimos feriados

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008 as 18:44, por: cdb

A quantidade de vôos que sofreram atrasos de mais de uma hora durante o carnaval foi menor que o número registrado durante os feriados de Natal e de Ano Novo, afirma a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Com base em dados fornecidos pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), o primeiro balanço da Anac sobre a Operação Carnaval 2008 indica que entre os dias 28 de janeiro e 6 de fevereiro, cerca de 8% dos vôos nacionais partiram com mais de uma hora de atraso. Entre o Natal e o Ano Novo, o percentual de atrasos foi de 11%.

Na quarta-feira, quando teve início a segunda etapa da Operação Carnaval, o índice de atrasos até as 18 horas foi de 3,4%, de acordo com a Infraero.

Embora comemore o que classifica como um “quadro positivo”, com a “redução gradual” do número de atrasos em comparação ao dos últimos feriados, a própria Anac reconhece que a média de atrasos ainda pode ser reduzida.

— A busca de índices abaixo de 10% é uma meta considerada ideal —, afirmou o gerente-regional da Anac Centro-Oeste, Maurício Gusman.

— Lembrando que problemas meteorológicos podem afetar a malha aérea em todo o país, contribuindo para os atrasos —, concluiu.

Segundo a Anac, a OceanAir foi a empresa aérea com o maior índice de atrasos nos últimos 10 dias: média de 27% de atrasos. Em segundo lugar está a Gol, com uma média de atrasos em 7% de seus vôos, seguida pela Varig (6%) e pela TAM (5%).

Em nota divulgada nesta quinta-feira, a Anac destaca que a OceanAir também foi a empresa que apresentou mais irregularidades no balanço preliminar da Operação Hora Certa. Além disso, no período de fim de ano, a companhia apresentou a maior média de vôos com atrasos acima de 1 hora: 35%.

A Anac atribui a diminuição do número de vôos com atraso às medidas implementadas em dezembro, como a malha aérea de verão, o aumento da fiscalização operacional nas companhias aéreas e a redução do número de pousos e decolagens em Congonhas.

— Temos procurado atuar de forma mais firme com as empresas para evitar esses problemas —, declarou Gusman.

A agência promete continuar agindo para reduzir ainda mais os atrasos, adotando novas medidas a partir da análise final dos resultados da Operação Hora Certa, na semana que vem.
Anunciada no dia 16 de janeiro, a Operação Hora Certa busca identificar e corrigir as falhas das companhias aéreas que provoquem atrasos nos vôos domésticos.

Já a Operação Carnaval foi dividida em duas etapas. Entre os dias 31 de janeiro e 2 de fevereiro, os agentes da Anac ficaram concentrados nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos, em São Paulo; Tom Jobim, no Rio de Janeiro; Juscelino Kubitschek, em Brasília (DF); e Salgado Filho, em Porto Alegre (RS).

Na segunda etapa, de 6 a 10 de fevereiro, os servidores estão distribuídos pelos aeroportos do Rio de Janeiro, Salvador (BA); Recife (PE); Florianópolis (SC); Natal (RN); Fortaleza (CE) e Porto Alegre (RS), além de Congonhas e Guarulhos (SP) e Brasília (DF).