Núcleo de Tecelagem da Fundação Wall Ferraz revela novas tendências para 2012

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 12:09, por: cdb

Mãos que tecem cuidadosamente fios de algodão e os transformam em belas obras de arte merecem reconhecimento por serem grandes personagens na construção do artesanato piauiense. A Prefeitura Municipal de Teresina, através da Fundação Wall Ferraz, apoia a Associação dos Tecelãos do bairro Dirceu Arcoverde denominada “Sol a Fio”, a única da cidade, existente há quase 27 anos. O Núcleo de Capacitação e Produção de Tecelagem foi fundado com o intuito de oportunizar emprego e renda para a população teresinense e toda estrutura com os teares e espaço de produção foi cedido pela administração municipal.

Determinadas a aproveitarem a versatilidade de sua matéria-prima, as tecelãs apostam em novas tendências para 2012, na área do vestuário e acessórios femininos. Manter a tradição do tear em redes, mantas, tapetes, capas de almofadas, jogos americanos, bonecas e bolsas, é fundamental para sustentar todas as conquistas alcançadas. Mas elaborar uma proposta inovadora aplicada às novas gerações e demandas da moda, é de fato, um divisor de águas para defender uma conscientização por parte da população em aderir e valorizar o artesanato local.

A proposta inicial das tecelãs é criar um mostruário de roupas, calçados e bijuterias com o tecido fabricado por elas, para que assim possam apresentar o produto aos lojistas, donos de confecção e fabricantes de calçados, visando firmar parcerias. Segundo as tecelãs, conhecendo o tecido e avaliando as possibilidades de múltiplas criações com ele, os lojistas certamente se interessariam em adquiri-lo. Isto promove de fato, uma conscientização por parte dos empreendedores em fornecer a população produtos de origem genuinamente piauiense. “Assim a população teria mais consciência em usar o artesanato da terra, e teria também a consciência do valor que ele possui. Queremos que a população sinta orgulho de comprar e usar nossos produtos” reforça Maria Salomé, tecelã e Gerente do Centro de Capacitação da Tecelagem do Dirceu.

Aprendizagem

Passar o conhecimento de geração em geração é uma das aspirações desses artesãos, que se preocupam com o futuro da tecelagem, no sentido de acharem que a população local, principalmente os jovens, é pouco receptiva ao trabalho desempenhado pelos tecelãos. Eles temem que a arte da tecelagem em Teresina deixe de existir, assim, ameaçando o que eles avaliam como uma herança familiar. Para eles, há muito mais que um simples instrumento feito de madeira por trás dos teares, há um sentimento de preservação, um conhecimento milenar que os tornam guardiões da arte no tear.

“O trabalho que o Núcleo desenvolve possibilita transferência de cultura entre as gerações. O Centro de Tecelagem beneficia 40 famílias, sendo 23 tecelãs e 17 tecelãos. A Fundação Wall Ferraz, como entidade que capacita e qualifica profissionalmente participa no processo de construção dos valores da cidadania tendo neste Centro um pólo que reforça os valores da nossa terra” considera o Presidente da Fundação Wall Ferraz, Antônio José Aguiar.

Participação

Participar de feiras e eventos, dentre os de maior repercussão como Piauí Sampa e Casa Piauí Design, voltados para a divulgação do artesanato piauiense, é motivo de contentamento para os tecelãos, pois é bastante lucrativo devido o fluxo de pessoas que prestigiam o evento e pelo fato do produto ter uma aceitação bem significativa. O Núcleo é auxiliado pela parceria entre a Fundação Wall Ferraz, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo – Semdec e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE.

Outro fator importante, que acentua ainda mais a disposição desses artesãos, é que eles garantem que as portas do centro estão sempre abertas para todos que queiram aprender através dos Cursos Profissionalizantes da Fundação Wall Ferraz. “Estou desde a fundação da tecelagem e durante todos esses anos de artesanato, posso afirmar que o trabalho desenvolvido é muito bem caprichado, mas, gostaríamos de mais apoio da população local em relação ao nosso trabalho. Minha vontade é que muitas pessoas venham não só comprar nossos produtos, mas aprender também” acrescenta a tecelã e vice-presidente da Associação “Sol a Fio”, Raimunda Nonata Alves.

Em Março de 2012, o Núcleo de Tecelagem do Dirceu, através da Fundação Wall Ferraz, ofertará um Curso de produção de redes. As inscrições já estão abertas no Núcleo da Tecelagem. “Eu estava sem trabalho antes de vir para cá. Fui convidado para participar do projeto. Cheguei inexperiente, fui auxiliando os companheiros de trabalho e fui aprendendo. Há quatro anos a tecelagem vem mudando a minha vida e eu cresci muito como profissional. Eu faço desde peças menores até as redes,” afirma Luiz Carlos, artesão do Núcleo de Tecelagem do Dirceu.