Novo sistema de fibra ótica vai diminuir problemas com cheques

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 16 de novembro de 2002 as 23:49, por: cdb

O cheque é o segundo maior meio de pagamento no país, representando 43% das transações comerciais, contra 1,1% do cartão de crédito e 0,3% do cartão de débito. Os dados são do presidente da Associação Brasileira de Informação, Verificação e Garantia de Cheques (AbraCheque), Carlos Pastor, observando que para diminuir o número de cheques fraudados, clonados e sem fundo, um novo sistema de fibra ótica será implantado nos estabelecimentos comerciais nacionais, que descontarão automaticamente o valor do papel na presença do comprador.

O sistema significará uma diminuição de 99% dos cheques devolvidos, conforme Pastor, lembrando que mais de sete milhões de estabelecimentos nacionais aceitam hoje o cheque, enquanto que apenas um milhão aceitam os cartões. “No Brasil, temos uma Câmara de Compensação, cujo executante é o Banco do Brasil. E os Estados Unidos, que já implantaram o sistema, contam com 26 Câmaras de Compensação. Ou seja, vamos tropicalizar o processo, com as necessidades que temos aqui, inclusive, com o cheque pré-datado, que significa 70% dos cheques dados no varejo, em 2002”, explicou.

De acordo com o presidente, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional AM, o cheque passeia muito no país. “Se um curitibano estiver visitando Brasília e der um cheque, o cheque vai viajar até Curitiba para ser checada a assinatura. É lógico que falo dos cheques acima de um certo valor”, frisou, acrescentando que o sistema representará uma mudança no tratamento do cheque no país.

Ele contou que, na próxima segunda-feira (18) serão delineados os comitês dos bancos, empresas de tecnologia de solução de software, que trabalharão o assunto e a criação de uma legislação e regulamentação própria. E, em fevereiro do próximo ano, será o primeiro encontro dos comitês para resolver os passos que serão dados em favor da implantação do sistema.