Novo plano dos EUA para o aço causa desconfiança

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de dezembro de 2003 as 16:24, por: cdb

Governos e empresas da Ásia e da Europa elogiaram a decisão dos Estados Unidos de suspender as sobretaxas na importação do aço, mas há receios sobre o sistema de monitoramento a ser anunciado pelo governo americano.

– Essa é uma boa notícia para nós. O fato de a indústria siderúrgica americana ter começado a se reestruturar também é uma boa notícia para o futuro. O importante é que esse tipo de coisa não ocorra de novo – disse o comissário de comércio da União Européia, Pascal Lamy.

Mas Ian Rodgers, diretor da UK Steel, órgão sindical para a indústria siderúrgica britânica, deu boas-vindas “cautelosas” à decisão dos Estados Unidos.

– Estamos muitos satisfeitos que os Estados Unidos removeram as tarifas, mas estamos um pouco desconfiados sobre o anúncio de um sistema de licenciamento para lidar com quaisquer mudanças repentinas nos preços – disse Rodgers.

“Estamos preocupados que, à medida que os detalhes forem sendo apresentados nos próximos dias, teremos surpresas desagradáveis.”

Guerra comercial

A ministra de Indústria e Comércio do Reino Unido, Patricia Hewitt, afirmou que estava “encantada” com o fim da ameaça de uma possível guerra comercial entre os Estados unidos e a Europa.

Japão e Coréia do Sul aprovaram o fim das salvaguardas e esperam o aumento das exportações no próximo ano.

A Casa Branca anunciou o fim das medidas de salvaguarda sobre o aço importado na quinta-feira.

Para substituir as sobretarifas, será criado um sistema de monitoramento de importação do produto.

As sobretaxas de até 30% sobre o aço importado foram estabelecidas pelos Estados Unidos em março de 2002 para proteger a indústria nacional.

A Organização Mundial do Comércio (OMC) considerou a medida ilegal em novembro deste ano.