Novo método para vigiar presos é testado em SC

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de dezembro de 2003 as 20:27, por: cdb

A secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina implantará, a partir do próximo ano, um projeto que permitirá a fiscalização do preso por meio de um chip colocado no tornozelo do detento. O projeto é destinado, inicialmente, aos 150 presos da Casa do Albergado, em Florianópolis, que cumprem pena em regime aberto.
 
De acordo com o secretário João Henrique Blazi, a iniciativa pretende diminuir a superlotação do local e gastos, já que cada detento custa ao Estado R$ 350/mês. O preso receberá uma tornozeleira com o chip.

“Isso representa a vanguarda no sistema carcerário”, disse Blazi, acrescentando que o sistema ainda não tem data prevista para ser implantado. Mas, em janeiro, serão iniciados os primeiros testes.

A idéia, no netanto, é alvo de críticas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SC). “É um retrocesso e o preso poderá sofrer discriminação”, observou o advogado Francisco Ferreira.